Premiê do Paquistão afirma que países estão o pressionando a reconhecer Israel e estabelece condição

© Sputnik / Vladimir Astapkovich / Abrir o banco de imagensBandeira de Israel (foto de arquivo)
Bandeira de Israel (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Premiê paquistanês Imran Khan afirmou que nunca reconhecerá Israel enquanto não ocorrer uma resolução justa da questão palestina, ao passo que relatou pressão exercida sobre ele.

Enquanto países muçulmanos como Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Sudão decidiram normalizar suas relações com Israel, outras lideranças no mundo islâmico optam pela política oposta, em grande parte explicando suas decisões com base na questão palestina.

De forma semelhante, o premiê paquistanês, Imran Khan, durante entrevista ao canal de TV Dunya News, reiterou sua posição, mas afirmou que está sob pressão internacional para reconhecer a existência do Estado de Israel.

"Eu não tenho de pensar duas vezes sobre o reconhecimento de Israel, a menos que haja um acordo justo que satisfaça os palestinos", declarou.

Por outro lado, perguntado sobre quais países estariam o pressionando para reconhecer o Estado judeu, Khan acrescentou:

"Deixa isso [para lá]. Existem coisas que não podemos dizer. Nós temos boas relações com eles [países]", publicou o portal The Express Tribune citando a fala de Khan na entrevista.

Ainda explicando a razão da pressão, o premiê afirmou:

"A pressão é devida ao forte impacto [influência] de Israel nos EUA. Esta [influência] foi de fato extraordinária durante o período de Trump."

'Israel, e não o Afeganistão, é a grande questão para Biden'

Respondendo a uma série de perguntas sobre as relações de seu país com os EUA, caso Joe Biden assuma a presidência em Washington, especialmente em relação ao Afeganistão, Khan afirmou que não deverá ocorrer mudança na política americana para o Afeganistão.

Contudo, ele ressaltou a importância do relacionamento entre Tel Aviv e Washington para o Oriente Médio.

"O Afeganistão não é a verdadeira questão. A questão real é Israel. Temos de ver como ele [Biden] vai lidar com isso. Se ele vai mudar as políticas de Trump [sobre Israel] ou as continuar [...] Eu não estou certo sobre a política de Biden sobre Israel, Irã e Caxemira, mas eu estou certo que não haverá mudança na política [de Washington] para o Afeganistão. Os democratas também querem sair do Afeganistão", explicou.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала