Astrônomos da NASA detectam 'ametista cósmica' em estrela moribunda (FOTO)

© Foto / ESOBrilho transitório fraco emitido pela nebulosa planetária ESO 577-24
Brilho transitório fraco emitido pela nebulosa planetária ESO 577-24 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Com a ajuda do telescópio do Observatório de Raios X Chandra da NASA, astrônomos detectaram uma bolha de gás ultraquente no centro da nebulosa planetária IC 4593.

A IC 4593 está localizada a aproximadamente 7.800 anos-luz de distância na constelação de Hércules, este objeto é a nebulosa planetária mais distante detectada em raios X por Chandra.

Além disso, a bolha em seu centro é uma das mais pequenas entre as nebulosas planetárias e contém gás aquecido a mais de um milhão de graus.

Estas temperaturas altas provavelmente foram geradas por material que foi jogado para longe do núcleo encolhido da estrela original, colidindo com o gás que já havia sido ejetado pela estrela.

"IC 4593 é o que chamamos de nebulosa planetária, um nome enganoso porque esta classe de objetos não tem nada a ver com planetas. O nome foi dado cerca de dois séculos atrás, porque elas se pareciam com o disco de um planeta quando eram vistas através de um pequeno telescópio", explicam astrônomos da NASA.

"Uma nebulosa planetária é formada quando o interior de uma estrela com massa semelhante à do Sol se contrai e suas camadas externas se expandem e esfriam. No caso do Sol, suas camadas externas poderiam se estender até a órbita de Vênus durante sua fase de gigante vermelha daqui a vários bilhões de anos."

A nova imagem da IC 4593 tem os raios X do Observatório Chandra em roxo, invocando semelhanças com ametistas encontradas em geodos no nosso planeta.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала