Descoberta de antigo leito de lago embaixo do gelo da Groenlândia pode revelar segredos do passado?

© AP Photo / Felipe DanaGelo da Groenlândia
Gelo da Groenlândia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Leito do lago pode ter milhões de anos e conter vestígios fósseis e químicos de climas e vidas anteriores, afirmam os investigadores.

Cientistas detectaram o que acreditam ser sedimentos de um enorme leito de lago a mais de um quilômetro e meio sob o gelo da Groenlândia, a primeira descoberta do gênero no mundo. Os pesquisadores relatam a descoberta na revista científica Earth and Planetary Science Letters.

Aparentemente formado em uma época em que não existia gelo na área, o leito do lago pode ter centenas de milhares ou mesmo milhões de anos e conter vestígios fósseis e químicos únicos de climas e vidas anteriores.

"Este poderia ser um importante repositório de informações, em uma paisagem que agora está totalmente oculta e inacessível […] Estamos trabalhando para tentar entender como a camada de gelo da Groenlândia se comportou no passado. É importante se quisermos entender como ela se comportará nas décadas futuras", afirma em comunicado Guy Paxman, principal autor do estudo.

A camada de gelo, que vem derretendo em um ritmo acelerado nos últimos anos, contém água suficiente para elevar o nível global do mar em cerca de sete metros. Os cientistas consideram que agora podem entender o que a camada de gelo da Groenlândia pode fazer nos próximos anos à medida que o clima esquenta.

© AP Photo / Christian Pondella / Red Bull Mergulho sob a superfície de gelo para pesquisar a calota de gelo da Groenlândia
Descoberta de antigo leito de lago embaixo do gelo da Groenlândia pode revelar segredos do passado? - Sputnik Brasil
Mergulho sob a superfície de gelo para pesquisar a calota de gelo da Groenlândia
A equipe diz que a bacia já hospedou um lago que cobre cerca de 7.100 quilômetros quadrados. Os sedimentos na bacia, com a forma vaga de um cutelo, podem ter até 1,2 quilômetro de espessura. Os pesquisadores calculam que a profundidade da água no antigo lago variou de cerca de 50 metros a 250 metros.

Nos últimos anos, cientistas descobriram a existência de lagos subglaciais na Groenlândia e na Antártica, contendo água líquida imprensada no gelo, ou entre a rocha e o gelo. Todavia, esta é a primeira vez que um leito de lago fóssil é descoberto, aparentemente formado quando não havia gelo, e mais tarde coberto e congelado no lugar. Não há evidências de que a bacia da Groenlândia contenha água líquida hoje.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала