Equipe científica da CERN desenvolve 'armadilha de antimatéria' transportável

© Sputnik / Dmitry AstakhovPrimeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, observa o detector de partículas ATLAS, construído no LHC, enquanto visita a CERN em Genebra, na Suíça
Primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, observa o detector de partículas ATLAS, construído no LHC, enquanto visita a CERN em Genebra, na Suíça - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Antimatéria é a matéria definida como sendo composta de antipartículas das partículas correspondentes da matéria "normal". Uma equipe da CERN coordena a pesquisa e está por trás de vários avanços na área.

Uma colaboração da Experiência de Simetria de Bárion Antibárion (BASE, na sigla em inglês) dentro da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN, na sigla em francês) revelou em comunicado que está sendo desenvolvida uma "armadilha antiprótons transportável", que permitirá o transporte de antiprótons do Desacelerador de Antimatéria (AD, na sigla em inglês) da CERN para outros laboratórios, de forma a continuar seu exame.

Atualmente, os antiprótons são armazenados em um dispositivo chamado Armadilha Penning, que mantém as partículas no lugar com uma combinação de campos elétricos e magnéticos.

Essas partículas aprisionadas são então alimentadas em uma armadilha com várias pontas para medir duas frequências, uma frequência ciclotrônica, que descreve a oscilação de uma partícula carregada em um campo magnético. Além dela, há a frequência Larmor, que descreve o chamado movimento precessional na armadilha do giro intrínseco da partícula.

Como o AD continua sendo o único lugar no mundo onde os antiprótons são produzidos diariamente, as propriedades deles podem ser medidas com mais precisão em um ambiente magnético mais calmo que o do AD. Em busca de medidas mais precisas, a equipe da BASE criou uma armadilha antiprótons, um dispositivo chamado BASE-STEP, que permitirá o transporte de antiprótons para locais com um ambiente magnético adequado.

"O salão AD não é o mais calmo dos ambientes magnéticos. Para se ter uma ideia, meu escritório na CERN é 200 vezes mais calmo do que o salão AD", disse o porta-voz da BASE, Stefan Ulmer.

O BASE-STEP consistirá de uma Armadilha Penning dentro do furo de um ímã supercondutor capaz de resistir às forças relacionadas ao transporte. Também terá um sistema de resfriamento líquido-hélio, que permitirá que o dispositivo seja transportado por várias horas sem precisar de energia elétrica para mantê-lo frio.

O dispositivo deverá ter 1,9 metro de comprimento, 0,8 metros de largura, 1,6 metro de altura e, no máximo, uma tonelada de peso.

"Estas dimensões e peso compactos significam que, em princípio, poderíamos carregar a armadilha em um pequeno caminhão ou furgão e transportá-lo do salão AD para outra instalação localizada na CERN ou em outro lugar, para aprofundar nosso entendimento de antimatéria", detalhou Christian Smorra, porta-voz adjunto da BASE.

Atualmente, com seus primeiros componentes em desenvolvimento, é esperado que o BASE-STEP seja concluído em 2022.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала