União Europeia impõe sanções a Lukashenko e mais 14 funcionários da Bielorrússia

© Sputnik / Belta / Abrir o banco de imagensPresidente da Belarus, Aleksandr Lukashenko (foto de arquivo)
Presidente da Belarus, Aleksandr Lukashenko (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Acusando o governo bielorrusso de repressões políticas, Bruxelas aplicou proibições de viagem e congelamento de bens nos 27 países que compõem a União Europeia.

A União Europeia (UE) sancionou Aleksandr Lukashenko, o presidente da Bielorrússia, e ampliou a lista negra em conexão com as eleições presidenciais de agosto no país, segundo documento do jornal oficial da União Europeia.

A UE acusa Minsk de repressões políticas no seu país antes e depois das eleições.

De acordo com a mídia, Bruxelas colocou na lista negra Lukashenko e outros 14 funcionários bielorrussos. As sanções implicam o congelamento de bens e a proibição de viagens ao bloco político e econômico, composto por 27 países.

Após as eleições presidenciais de 9 de agosto na Bielorrússia, que foram ganhas pela sexta vez por Aleksandr Lukashenko, que recebeu, segundo dados oficiais, 80,1% dos votos, no país começaram protestos em massa da oposição, que acredita que Svetlana Tikhanovskaya venceu.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала