- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta sexta-feira, 6 de novembro

© REUTERS / Carlos BarriaPresidente dos EUA, Donald Trump deixa recinto após realizar discurso sobre supostas fraudes em eleições norte-americanas, Washington, 5 de novembro de 2020
Presidente dos EUA, Donald Trump deixa recinto após realizar discurso sobre supostas fraudes em eleições norte-americanas, Washington, 5 de novembro de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Bom dia! A Sputnik Brasil está de olho nas notícias mais importantes desta sexta-feira (6), marcada pelo apagão no Amapá, pelas acusações de Trump sobre fraudes nas eleições nos EUA e pelo início de conflito militar preocupante na Etiópia.

Macapá decreta estado de calamidade pública após 48h de apagão

Nesta quinta-feira (5), o prefeito de Macapá, Clécio Luís, decretou estado de calamidade pública na capital do Amapá por 30 dias. A decisão veio após apagão em 13 dos 16 municípios do estado chegar ao seu segundo dia. Ainda não há perspectiva de normalização no fornecimento de energia elétrica ao estado. Moradores estocam água potável e cirurgias são canceladas por falta de energia em hospitais. De acordo com a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), houve "problema na linha de transmissão do Sistema Interligado Nacional", que "causou a interrupção do fornecimento de energia no estado".

© AP Photo / Eraldo PeresPresidente do Brasil, Jair Bolsonaro após a cerimônia de posse do novo ministro do STF, Kássio Marques, Brasília, 5 de novembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta sexta-feira, 6 de novembro  - Sputnik Brasil
Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro após a cerimônia de posse do novo ministro do STF, Kássio Marques, Brasília, 5 de novembro de 2020

Números da COVID-19 dão relativa trégua para brasileiros

Nesta quinta-feira (5), o Brasil confirmou mais 609 mortes e 23.317 casos de COVID-19, informou consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa. A média móvel de número de mortes dos últimos sete dias está em 392, um dos melhores níveis desde maio. Os números não contabilizam as ocorrências no estado do Amapá. Segundo a Secretaria de Saúde do estado, as autoridades estão impossibilitadas de fornecer dados em função do apagão. O Brasil é o segundo país com maior número de mortes pela COVID-19, com 161.106 óbitos e 5.590.025 casos da doença, informou a Universidade Johns Hopkins (EUA).

© AP Photo / Andre PennerMulher assiste à transmissão do São Paulo Fashion Week, realizado em formato digital em função da pandemia de COVID-19, São Paulo, 5 de novembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta sexta-feira, 6 de novembro  - Sputnik Brasil
Mulher assiste à transmissão do São Paulo Fashion Week, realizado em formato digital em função da pandemia de COVID-19, São Paulo, 5 de novembro de 2020

Trump faz discurso polêmico sobre fraude eleitoral conforme Biden se aproxima da vitória

Nesta quinta-feira (5), o presidente dos EUA, Donald Trump, fez discurso polêmico transmitido em rede nacional, no qual alegou que as eleições norte-americanas estão sendo fraudadas. Para o republicano, o Partido Democrata estaria usando "votos ilegais" para "roubar as eleições de nós". A campanha de Trump entrou com pedidos de recontagem e interrupção da apuração de votos em quatro estados decisivos. Para vencer as eleições nos EUA, o candidato deve obter pelo menos 270 votos no Colégio Eleitoral. De acordo com a Associated Press, Joe Biden está perto da vitória, com 264 delegados, contra 214 de Trump. Acompanhe a apuração em tempo real.

© AP Photo / Brynn AndersonFuncionária do sistema eleitoral do estado norte-americano da Geórgia examina cédula, em Atlanta, 5 de novembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta sexta-feira, 6 de novembro  - Sputnik Brasil
Funcionária do sistema eleitoral do estado norte-americano da Geórgia examina cédula, em Atlanta, 5 de novembro de 2020

Morales condena ataque com dinamite contra presidente eleito da Bolívia

Nesta sexta-feira (6), o ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, condenou um ataque com banana de dinamite realizado contra diretório do partido Movimento ao Socialismo (MAS), no qual estava presente o presidente eleito do país, Luis Arce. O artefato explodiu na porta do diretório, mas não há registro de feridos. "Condenamos o atentando contra a sede de nossa campanha em La Paz. Grupos minoritários tentam gerar um clima de confusão e violência, mas não terão sucesso", escreveu Morales em sua conta no Twitter. O porta-voz do partido condenou a inação das autoridades bolivianas perante o incidente.

© REUTERS / David MercadoPresidente eleito da Bolívia, Luis Arce, durante cerimônia em La Paz, Bolívia, 28 de outubro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta sexta-feira, 6 de novembro  - Sputnik Brasil
Presidente eleito da Bolívia, Luis Arce, durante cerimônia em La Paz, Bolívia, 28 de outubro de 2020

Secretário-geral da ONU diz estar 'alarmado' com confronto militar na Etiópia

Nessa sexta-feira (6), o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, expressou alarme com os relatos de confronto entre as Forças Armadas da Etiópia e o partido que governa a província etíope de Tigray. "A estabilidade da Etiópia é importante para toda a região do Chifre da África", escreveu Guterres em sua conta no Twitter, pedindo "solução pacífica para a disputa". Anteriormente, as Forças Armadas da Etiópia declararam estar em guerra contra a Frente Popular de Libertação de Tigray, após dias de combates na região norte do país africano.

© AP Photo / Mulugeta AyeneCristãos ortodoxos etíopes rezam pela paz, na capital Adis Abeba, Etiópia, 5 de novembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta sexta-feira, 6 de novembro  - Sputnik Brasil
Cristãos ortodoxos etíopes rezam pela paz, na capital Adis Abeba, Etiópia, 5 de novembro de 2020

EUA autorizam venda de drones estimada em R$ 16 bilhões aos Emirados Árabes

Nesta sexta-feira (6), o Departamento de Estado dos EUA autorizou a venda de drones avaliada em US$ 2,9 bilhões (cerca de R$ 16 bilhões) aos Emirados Árabes Unidos (EAU). O pacote inclui a venda de 18 drones MQ-9B equipados com radares marítimos e considerados sofisticados, reportou a Reuters. O anúncio foi realizado após os EAU anunciarem a intenção de adquirir caças furtivos norte-americanos F-35. A autorização do Departamento de Estado pode ser revertida pela Comissão de Relações Exteriores do Senado dos EUA, que expressou críticas à atuação dos EAU na guerra no Iêmen.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала