Presidente do Azerbaijão diz estar pronto para cessar guerra em Nagorno-Karabakh

© Sputnik / Assessoria de imprensa do presidente do Azerbaijão / Abrir o banco de imagensIlham Aliev, presidente do Azerbaijão, durante reunião em torno da guerra de Nagorno-Karabakh
Ilham Aliev, presidente do Azerbaijão, durante reunião em torno da guerra de Nagorno-Karabakh - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Após três cessar-fogos previamente negociados, e quebrados, Ilham Aliev anunciou a possibilidade de negociação do fim da guerra após "libertação completa de todos os territórios ocupados".

O presidente do Azerbaijão, Ilham Aliev, afirmou que Baku está pronta para parar a guerra em Nagorno-Karabakh, mas que para isso Erevan deve se comprometer a se retirar dos territórios ocupados.

"Primeiro, acredito que quanto mais cedo a guerra acabar, melhor. Eu tenho dito repetidamente [...] e posso repetir mais uma vez que [...] se o primeiro-ministro da Armênia se comprometer com a libertação dos territórios restantes, estamos prontos para parar já hoje. Até agora, ele não assumiu tais compromissos", disse Aliev em uma entrevista ao jornal italiano La Repubblica.

Falando sobre compromissos, o presidente do Azerbaijão observou que Erevan deveria estar comprometida "a libertar completamente todos os territórios ocupados, de acordo com as resoluções do Conselho de Segurança da ONU e a implementação de seus princípios básicos".

"Os princípios básicos dizem que cinco distritos devem ser libertados primeiro, e depois dois", afirmou.

"Já libertamos quatro distritos de forma unilateral. É por isso que ele [Nikol Pashinyan, presidente da Armênia] deveria dizer que as tropas deveriam ser retiradas dos restantes territórios ocupados dos distritos de Agdam, Kelbedjar e Lachin. Mas ele não faz tal afirmação. Isso mostra que ele não quer que a guerra termine", concluiu Aliev.

Anteriormente, as autoridades armênias afirmaram que o conflito em torno de Nagorno-Karabakh só pode ser resolvido por meios pacíficos.

As batalhas na linha de contato em Nagorno-Karabakh começaram em 27 de setembro. A Armênia e o Azerbaijão se acusam mutuamente de desencadear operações militares, até mesmo contra civis, em torno da república não reconhecida, incluindo sua capital, Stepanakert. A Armênia declarou lei marcial, e, pela primeira vez, mobilização geral, alegando que Ancara está apoiando ativamente Baku. Azerbaijão, por sua vez, implementou mobilização parcial, bem como lei marcial em várias cidades.

Os líderes da Rússia, dos EUA e da França pediram às partes do conflito que parassem com os confrontos e se comprometessem a iniciar as negociações sem condições prévias. Já foram negociados três cessar-fogos previamente, tendo sido quebrados pouco depois.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала