Supercomputador mostra fator que pode ter grande efeito na dispersão do novo coronavírus

© AP Photo / Erwin Jacob MicianoEm Los Angeles, nos EUA, profissionais de saúde dentro de navio-hospital tratam paciente como parte de um esforço de apoio a hospitais da região para liberar leitos em meio à pandemia de COVID-19, em 29 de março de 2020
Em Los Angeles, nos EUA, profissionais de saúde dentro de navio-hospital tratam paciente como parte de um esforço de apoio a hospitais da região para liberar leitos em meio à pandemia de COVID-19, em 29 de março de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Pesquisadores japoneses afirmam que a umidade do ar é um importante fator de risco para a COVID-19, especialmente durante o inverno.

O supercomputador japonês Fugaku mostrou que a umidade pode ter um grande efeito na dispersão de partículas de vírus, indicando que o risco de contágio pelo SARS-CoV-2 é maior em condições secas e em espaços fechados durante os meses de inverno. Os resultados foram divulgados na terça-feira (13), relata a agência Reuters.

Os pesquisadores da Universidade Kobe e do Instituto Riken, ambos no Japão, usaram o Fugaku para modelar a emissão e o fluxo de partículas semelhantes a do vírus de pessoas infectadas com a COVID-19 em uma variedade de ambientes fechados.

Os cálculos realizados pelo supercomputador mostram que a umidade do ar inferior a 30% resultou em mais do dobro da quantidade de partículas aerossolizadas em comparação com níveis de 60% ou mais.

O estudo sugere que o uso de umidificadores pode ajudar a limitar as infecções durante os momentos em que a ventilação da janela não é possível.

Máscara é mais eficaz

A pesquisa também mostrou que protetores faciais não são tão eficazes quanto as máscaras na prevenção da propagação de aerossóis. Outras descobertas mostraram que, durante as refeições, os comensais correm mais risco de contrair o vírus das pessoas sentadas ao seu lado do que das pessoas sentadas do outro lado da mesa.

© AP Photo / Ariana CubillosUma mulher usando máscara e escudo facial (foto de arquivo)
Supercomputador mostra fator que pode ter grande efeito na dispersão do novo coronavírus - Sputnik Brasil
Uma mulher usando máscara e escudo facial (foto de arquivo)

O supercomputador já tinha sido usado durante a pandemia para modelar as condições de contágio em trens, espaços de trabalho e salas de aula.

As simulações mostraram que abrir janelas em trens de passageiros pode aumentar a ventilação de duas a três vezes, reduzindo a concentração de micróbios ambientais.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала