Armênia anuncia em que caso usará sistemas de mísseis russos Iskander em Nagorno-Karabakh

© Sputnik / Pavel Lisitsyn / Abrir o banco de imagensComplexo de mísseis Iskander-M
Complexo de mísseis Iskander-M - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Erevan usará os sistemas de mísseis táticos russos Iskander caso a Turquia envie seus caças F-16 para Nagorno-Karabakh, afirmou o embaixador da Armênia na Rússia, Vardan Toganyan.

A Armênia foi o primeiro parceiro estrangeiro de Moscou a receber o complexo de mísseis táticos em 2016.

"Os dirigentes militares afirmaram que, caso os F-16 turcos sejam avistados sobre a região de Nagorno-Karabakh, todas as medidas serão tomadas, incluindo a instalação dos Iskander. Ou seja, o Exército armênio usará todo arsenal para garantir a segurança", afirmou Toganyan.

O embaixador ressalta que a situação ainda não chegou a este ponto e que estão sendo usados sistemas de defesa aérea para abater drones turcos e azeris.

"Eles serão abatidos enquanto nossos sistemas aguentarem", afirmou o diplomata.

Anteriormente, o porta-voz do Ministério da Defesa da Armênia, Artsrun Ovannisyan, observou que Erevan poderia usar os sistemas Iskander caso fosse necessário.

Em resposta, Baku afirmou que suas forças seriam capazes de "responder adequadamente" ao posicionamento dos sistemas na região.

O Ministério da Defesa da Armênia informou que dois helicópteros do Azerbaijão foram abatidos na área de conflito.

Armênia ameaça usar armas de longo alcance

A porta-voz do Ministério da Defesa da Armênia, Shushan Stepanyan afirmou que o país pode ser obrigado a usar armas de longo alcance na área de conflito.

"O Ministério da Defesa da Armênia adverte que as Forças Armadas armênias são forçadas a usar equipamentos militares de longo alcance para eliminar as forças inimigas, bem como suas instalações e equipamentos em grandes áreas", declarou em seu Facebook.

De acordo com a porta-voz, a medida pode ser tomada devido ao fato de o Azerbaijão estar usando artilharia pesada, sistemas múltiplos de lançamento de foguetes, contra as tropas armênias.

"Isso muda a lógica e a escala do conflito, que atinge um novo nível", completou.

Por sua vez, o Ministério das Relações Exteriores do Azerbaijão declarou que, em resultado do bombardeio por parte da Armênia, foram mortos dez civis, dos quais duas crianças. Outras 30 pessoas ficaram feridas.

Na manhã do domingo (27), teve início um confronto armado em Nagorno-Karabakh, uma região autônoma de maioria armênia que proclamou independência em 1991 da então República Socialista Soviética do Azerbaijão.

O conflito nesta zona do Cáucaso do Sul começou em fevereiro de 1988, quando a região autônoma de Nagorno-Karabakh anunciou sua separação da República Socialista Soviética do Azerbaijão.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала