Londres entrega a Guaidó reservas de ouro da Venezuela retidas no Banco da Inglaterra

© REUTERS / Marco BelloPresidente venezuelano, Nicolás Maduro, com barras de ouro
Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, com barras de ouro - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Supremo Tribunal britânico decidiu que quem pode dispor das 31 toneladas de ouro retidas no Banco da Inglaterra é o líder da oposição venezuelana e não o governo de Nicolás Maduro.

De acordo com o juiz Nigel Teare, Guaidó é "inequivocamente" o "presidente interino constitucional" da Venezuela e é o seu governo "ad hoc" ("para esta finalidade") que pode acessar estas reservas.

Após esta decisão, Calixto Ortega, presidente do Banco Central da Venezuela (BCV), escreveu no Twitter que "recorrerá imediatamente" da "absurda e insólita decisão de um tribunal britânico", que prejudica os venezuelanos, escreve BBC.

O BCV irá recorrer imediatamente da absurda e insólita decisão de um tribunal inglês que pretende privar o povo venezuelano do ouro tão urgentemente necessário para lidar com a pandemia de COVID-19.

O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) foi acusado de "pôr vidas em risco" após ter recusado um pedido da Venezuela para liberar mais de 800 milhões de libras esterlinas (R$ 5,2 bilhões) das reservas de ouro do país sul-americano atualmente retidas no Reino Unido.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала