Premiê espanhol avisa: coronavírus 'não desapareceu'

© Sputnik / Jordy Boixareu / Abrir o banco de imagensMulheres conversam de suas varandas em Barcelona, Espanha
Mulheres conversam de suas varandas em Barcelona, Espanha - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, afirmou que relaxar a quarentena de quase dois meses será inútil se as pessoas não obedecerem às regras de distanciamento social.

Ele lembrou aos espanhóis neste sábado (9), dois dias antes de 51% da nação de 47 milhões ganhar permissão para frequentar cafés ao ar livre, que "o vírus não desapareceu".

Na segunda-feira (11), muitas regiões menos afetadas pela pandemia irão permitir reuniões de até 10 pessoas e autorizar a abertura de igrejas, teatros, mercados ao ar livre, entre outros locais, mas com limites de ocupação. 

Madri e Barcelona permanecem sob confinamento mais rigoroso. As regras de distanciamento social de dois metros permanecem em vigor, informa a agência de notícias Associated Press.

"O vírus não desapareceu, a luta continua e não acabará até encontrarmos uma vacina. Enquanto isso, temos de coexistir com o vírus, por isso temos que reforçar o sistema de saúde e consolidar as suas capacidades".

Sánchez e o Exército espanhol alertaram para possíveis surtos nos próximos meses.

O Ministério da Saúde da Espanha registrou 179 mortes neste sábado (9). Há um mês, a Espanha tinha uma média diária de mortes de 900 pessoas. A pandemia de COVID-19 ceifou 26.478 vidas na Espanha. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала