Após Brexit, líder da Escócia promete recolocar o país na União Europeia

Nos siga noTelegram
A chefe do Partido Nacional Escocês (SNP), Nicola Sturgeon, prometeu neste sábado que a Escócia retornará à União Europeia (UE) como um Estado independente.

Na noite desta sexta-feira, o Reino Unido deixou a UE depois de 47 anos sendo parte do bloco europeu, incluindo 3,5 anos após o referendo. A Escócia, ao contrário da Inglaterra e do País de Gales, votou em 2016 contra a saída do bloco.

"A Escócia retornará ao coração da Europa como um país independente - #LeaveALightOnForScotland", escreveu Sturgeon em sua página no Twitter.

​Em dezembro, Sturgeon pediu ao governo do Reino Unido que autorizasse o segundo referendo de independência da Escócia, expressando a crença de que o sucesso do SNP nas primeiras eleições gerais do Reino Unido, realizadas em 12 de dezembro, contribuiu para um "caso democrático" da independência da Escócia.

Como a proposta foi rejeitada pela administração do premiê Boris Johnson, Sturgeon afirmou que as autoridades da Escócia decidiriam sobre os próximos passos e depois pediriam aos legisladores escoceses que apoiassem a iniciativa do referendo.

'Parceria nova e ambiciosa'

A União Europeia lamentou a decisão do Reino Unido de deixar o bloco, mas considera Londres como um de seus principais parceiros, declarou o chefe de política externa da UE, Josep Borrell, neste sábado.

© AFP 2022 / Andy BuchananManifestantes defendem a independência da Escócia e agitam bandeiras da UE em Glasgow, Escócia, 30 de julho de 2016
Após Brexit, líder da Escócia promete recolocar o país na União Europeia - Sputnik Brasil
Manifestantes defendem a independência da Escócia e agitam bandeiras da UE em Glasgow, Escócia, 30 de julho de 2016
"Enquanto a União Europeia e eu pessoalmente lamentamos muito a decisão do Reino Unido de deixar nossa união, respeitamos totalmente essa escolha e estamos prontos para avançar", comentou Borrell em um vídeo.

Ele ressaltou a necessidade de garantir a implementação do acordo de retirada e negociar as relações pós-Brexit entre Londres e Bruxelas.

"Nosso desejo é construir uma parceria nova e ambiciosa com o Reino Unido através da cooperação comercial e econômica, aplicação da lei e justiça criminal, política externa, segurança e defesa. O Reino Unido continuará sendo um parceiro-chave da União Europeia", acrescentou.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала