- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Grupo do PSL pede expulsão de Eduardo Bolsonaro do partido

© Foto / Agência Brasil / Fabio Rodrigues PozzebomDeputado Eduardo Bolsonaro durante sessão no Conselho de Ética da Câmara
Deputado Eduardo Bolsonaro durante sessão no Conselho de Ética da Câmara - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Ala do PSL que apoia o presidente da legenda, deputado Luciano Bivar (PE), oficializou na quarta-feira (23) um pedido de expulsão do partido de Eduardo Bolsonaro (SP), que acaba de ser nomeado líder da sigla na Câmara. 

O documento, revelado pela Folha de S.Paulo, foi encaminhado à Executiva Nacional do PSL. A legenda vive uma crise desde que surgiram denúncias de que o partido utilizou candidaturas laranjas nas eleições de 2018. O racha aumentou nas últimas semanas, com uma disputa entre grupo que apoia Bivar e os bolsonaristas. 

O texto da representação acusa Eduardo de "colocar seus interesses pessoais à frente dos interesses do partido". Além disso, afirma que ele atua para "desmontar o partido no estado" de São Paulo, e que derrubou de "maneira ilegal" mais de 200 diretórios definitivos e comissões executivas municipais.

Na segunda-feira (21), o filho do presidente Jair Bolsonaro substituiu o colega de legenda Delegado Waldir na liderança da Câmara. Uma lista assinada por 29 deputados do PSL pedia a mudança. O líder da sigla no Senado, Major Olímpio, ironizou e disse que Eduardo não venceria sequer um "cone" numa votação dentro do PSL. 

Banca paulista assinou representação

Agora, a representação para expulsar o novo líder é mais um capítulo das desavenças, que envolve também disputa para controlar o fundo partidário da sigla, que pode chegar a R$ 110 milhões. O documento, de acordo com a Folha, foi assinado por Olímpio e deputados da bancada paulista da legenda, Abou Anni, Coronel Tadeu, Joice Hasselmann e Júnio Bozzella. 

Os parlamentares pedem ainda a destituição da Direção Estadual do PSL em São Paulo, atualmente comandada por Eduardo. De acordo com as regras da legenda, o deputado, que desistiu de sua indicação para a embaixada dos EUA devido à crise, tem agora cinco dias para apresentar sua defesa. 

"O representado Eduardo Bolsonaro já deu diversas declarações públicas à imprensa de que está montando o partido com o seu grupo", diz o documento.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала