Nova cúpula entre Kim e Trump é improvável, diz diplomata norte-coreano

© AP Photo / Evan Vucci Presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, passeiam após um almoço de negócios no âmbito da cimeira em 12 de junho de 2018, em Singapura
Presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, passeiam após um almoço de negócios no âmbito da cimeira em 12 de junho de 2018, em Singapura - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Segundo o assessor do Ministério das Relações Exteriores norte-coreano Kim Kye-gwan, uma nova cúpula entre Kim e Trump teria pouca chance de acontecer, diz mídia local.

Ainda de acordo com a autoridade norte-coreana, a improbabilidade do encontro seria devida à falta de resultados dos encontros anteriores.

Estes encontros foram ocasiões históricas para os líderes dos dois países expressarem sua disposição de acabar com a hostilidade e estabelecer a paz e a estabilidade na península coreana, disse o assessor. O coreano elogiou o presidente americano dizendo que ele é "diferente de seus antecessores politicamente falando".

Ao mesmo tempo, Kim Kye-gwan criticou a infrutilidade dos encontros já realizados.

"Contudo, nada foi feito para implementar as questões acordadas nas conversações anteriores, o que diminui a possibilidade de uma próxima cúpula", disse Kye-gwan à agência norte-coreana KCNA.

O norte-coreano ressaltou que seu país, num gesto sincero, repatriou cidadãos americanos presos no país por atos hostis contra Pyongyang.

"No entanto, os Estados Unidos não fizeram nada para implementar a declaração conjunta. Ao contrário, os americanos retomaram suas manobras militares conjuntas [com a Coreia do Sul], apesar que o presidente dos Estados Unidos se comprometeu pessoalmente a suspendê-las. Eles aumentaram suas sanções contra a Coreia do Norte com o único fim de piorar as relações entre os dois países", disse Kye-gwan.

Para que as negociações continuassem, Trump deveria tomar uma "decisão sábia e ousada" para pôr fim às diferenças diplomáticas entre as duas nações, assim como Washington teria que acabar com a abordagem negativa sobre a Coreia do Norte com o intuito de fazer avançar o diálogo, segundo o norte-coreano.

Encontros

Os dois chefes de Estado se reuniram em três ocasiões desde junho de 2018, sendo a última em junho passado na zona desmilitarizada entre as duas Coreias.

O encontro mais significante de todos ocorreu em 12 de junho de 2018. Na ocasião, as autoridades assinaram uma declaração de comprometimento de Kim com a desnuclearização de seu país, ao passo que os Estados Unidos deveriam estabelecer novas relações com Pyongyang baseadas na paz e prosperidade dos dois povos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала