'Vamos a Marte': Trump anuncia próxima meta da NASA e diz que Lua 'não é tão emocionante'

© NASAAstronauta americano James Irwin ao lado da bandeira dos EUA na Lua durante missão lunar Apollo 15 em 11 de agosto de 1971
Astronauta americano James Irwin ao lado da bandeira dos EUA na Lua durante missão lunar Apollo 15 em 11 de agosto de 1971 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Ao elogiar o trabalho do programa espacial dos EUA, que visa enviar nova missão tripulada à Lua em 2024, o presidente americano Donald Trump especificou que o objetivo final do país é chegar a Marte, informa a Reuters.

"Vamos a Marte", afirmou Trump a repórteres após uma reunião da Casa Branca com o primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, destacando o Planeta Vermelho como uma meta mais emocionante do que a Lua.

"Paramos na Lua. A Lua é na verdade uma plataforma de lançamento. Eu disse: Ei, já fomos à Lua. Isso não é tão emocionante. Então iremos à Lua, mas realmente iremos a Marte”, destacou o líder norte-americano.

O líder americano enfatizou na sexta-feira (20) que a NASA estava fazendo um "tremendo progresso" em direção a Marte e também destacou o trabalho de empresas privadas como a SpaceX e a Blue Origin.

Em março, o vice-presidente Mike Pence revelou que o prazo final da NASA para o regresso dos astronautas à Lua seria em 2024.

O satélite natural da Terra foi também o objetivo principal da Space Policy Directive 1, uma diretiva assinada por Trump em dezembro de 2017 estabelecendo que a NASA enviaria astronautas à Lua e teria Marte como objetivo. O programa Artemis da NASA está desenvolvendo o enorme Megarocket Space Launch System e a nave espacial Orion, destinados a enviar astronautas para as proximidades da Lua.

© Foto / NASAApollo 12 na Lua
'Vamos a Marte': Trump anuncia próxima meta da NASA e diz que Lua 'não é tão emocionante' - Sputnik Brasil
Apollo 12 na Lua

A agência espacial americana tem igualmente planos para uma estação perto da Lua, chamada de Lunar Gateway, que servirá de base avançada para a exploração da superfície lunar.

O chefe da NASA, Jim Bridenstine, tem desde então sublinhado que a Lua é uma base-chave para futuras missões tripuladas a Marte.

Marte como objetivo

No início de junho, algumas semanas antes do 50º aniversário do pouso lunar da Apollo 11, Trump criticou o foco da NASA na Lua.

"Por todo o dinheiro que estamos gastando, a NASA não deveria estar falando sobre ir à Lua - Nós fizemos isso há 50 anos atrás", escreveu Trump no Twitter, enfatizando que Marte deveria ser o objetivo.

Apoio internacional

A NASA não está sozinha em seus objetivos de alcançar a Lua e Marte. A Agência Espacial Europeia (ESA) está construindo o módulo de serviço para a Orion e a agência americana tem promessas do Canadá e do Japão para cooperar na exploração lunar.

No sábado (21), a NASA acrescentou a Agência Espacial Australiana à sua lista de parceiros lunares com um acordo para cooperar em futuros projetos lunares.

A chefe da Agência Espacial Australiana, Megan Clark, e o vice-administrador da NASA, Jim Morhard, assinaram uma declaração conjunta de intenções de cooperação na área espacial.

"Estamos honrados com a declaração de hoje e com o compromisso dos nossos amigos da Austrália de nos apoiarem na nossa missão de regressar à Lua até 2024 com o programa Artemis", disse Morhard em uma declaração da NASA.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала