Chanceler iraniano explica como houthis conseguiram atacar refinarias sauditas

© AFP 2022 / MOHAMMED HOWAISApoiantes dos rebeldes houthis mostram modelos de mísseis durante uma manifestação na capital do Iêmen.
Apoiantes dos rebeldes houthis mostram modelos de mísseis durante uma manifestação na capital do Iêmen. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O chanceler iraniano Mohammad Javad Zarif, disse que os rebeldes iemenitas Houthis conseguiram aumentar o alcance de seus mísseis, permitindo-lhes atacar instalações petrolíferas na Arábia Saudita.

O ministro iraniano das Relações Exteriores explicou durante entrevista à CBS que os rebeldes iemenitas receberam armas de seu ex-presidente Ali Abdullah Saleh, que "as comprou com dinheiro saudita durante sua longa permanência no poder.

Zarif também observou que os houthis têm tecnologia e know-how para melhorar suas armas.

O ministro iraniano destacou também que Riade não apresentou nenhuma prova do envolvimento de Teerã nos ataques.

Sequência de acusações

A situação no Oriente Médio se deteriorou depois que várias instalações petrolíferas da empresa estatal de petróleo e gás Saudi Aramco foram atacadas por drones no dia 14 de setembro, após o que o reino foi forçado a cortar a produção de petróleo em mais de metade.

A responsabilidade pelo ataque foi reivindicada pelos rebeldes iemenitas houthis, contra os quais a coligação árabe liderada pela Arábia Saudita está combatendo mas Riade e Washington acusaram Teerã do incidente.

O Irã nega todas as acusações, enquanto seu governo enfatizou que os ataques às instalações petrolíferas prejudicam toda a região, e observou que tais acusações são tradicionais para os EUA e não causam surpresa.

© REUTERS / Faisal Al NasserArmas de fogo de artilharia do exército saudita em direção às posições houthis da fronteira saudita com o Iêmen.
Chanceler iraniano explica como houthis conseguiram atacar refinarias sauditas - Sputnik Brasil
Armas de fogo de artilharia do exército saudita em direção às posições houthis da fronteira saudita com o Iêmen.

Apesar da falta de provas do envolvimento do Irã no ataque, Trump ordenou que as sanções contra Teerã fossem substancialmente reforçadas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала