- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Corte de juros nos EUA pode ser positivo para Brasil, diz especialista

© AP Photo / Julio CortezBandeiras do Brasil e dos EUA
Bandeiras do Brasil e dos EUA - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Tanto o Copom do Banco Central, no Brasil, quanto o Fed, o banco central dos EUA, anunciaram cortes nas taxas básicas de juros nesta quarta-feira (18). A Sputnik Brasil conversou com o pesquisador Marcel Balassiano sobre o impacto da decisão norte-americana para a economia brasileira.

O Fed anunciou nesta quarta-feira (18) a diminuição da taxa de juros pela segunda vez em 2019, reduzindo a taxa básica de juros de 1,75% a 2%. Já o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil também anunciou no fim da tarde de quarta-feira reduzir a taxa básica de juros de 6% para 5,5% ao ano.

O pesquisador da área de Economia Aplicada do FGV-Ibre (Instituto Brasileiro de Economia), Marcel Balassiano, em entrevista à Sputnik Brasil, afirmou que esse cortes nas taxas de juros acontecem dentro de um processo de desaceleração econômica global, mas observou que esta desaceleração não é homogênea.

"Mas é bom frisar que essa desaceleração da economia global não é homogênea em todos os países. Por exemplo, os EUA estão numa situação econômica melhor que da Europa. O Banco Central ao reduzir a taxa básica de juros tenta estimular mais a economia, diminuindo o custo de vida, estimulando o consumo das pessoas e dando mais dinheiro para as empresas investirem", observou.

De acordo com ele, quando EUA cortam a sua taxa de juros, "os investidores procuram retornos mais altos de outros países, em especial dos emergentes".

"Então esse aumento da entrada de dólares no país pode fortalecer a nossa moeda local. Ou seja, isso pode vir a ser positivo para as economias emergentes, para o Brasil em especial", afirmou o pesquisador.

Marcel Balassiano destacou, no entanto, que um dos riscos para o Brasil é se for concretizada uma desaceleração econômica global.

"O Banco Central tinha dito que um dos riscos era a desaceleração do cenário externo para as economias emergentes. Ou seja, se o cenário de desaceleração global e a incerteza aumentar, isso pode prejudicar o Brasil", completou.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала