Chefe da Sputnik Moldávia é detido em Chisinau

© SputnikAgência Sputnik
Agência Sputnik  - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em Chisinau, o chefe da agência Sputnik Moldávia, Vladimir Novosadyuk, foi detido, e as circunstâncias ainda são desconhecidas, informa assessoria de imprensa da Sputnik.

"Em Chisinau, o chefe da Sputnik Moldávia, Vladimir Novosadyuk, foi detido. Estamos investigando estatuto legal dele", afirmou a assessoria de imprensa.

Entretanto, a Procuradoria da Moldávia afirma que Vladimir Novosadyuk não foi detido e investigação continua sendo realizada.

A agência Sputnik está ciente de relatos de outros veículos midiáticos, que apontam diferentes versões da investigação contra o chefe da Sputnik Moldávia, Vladimir Novosadyuk, mas considera que se deve esperar conclusões oficiais da investigação.

Mais tarde, o próprio Novosadyuk disse à Sputnik que ele foi liberto depois de assinar um termo de não deslocação para o estrangeiro pelo prazo de 60 dias.

Ele disse que foi acusado de fraude e lavagem de dinheiro através das estruturas de Ilan Shor, empresário israelense e refugiado político na Moldávia.

Novosadyuk declarou durante o interrogatório que está inocente.

Ele comunicou também que em sua casa foram efetuadas buscas, mas apenas o celular foi apreendido.

Perseguição contra mídia russa

Agência Sputnik é repetidamente atacada por funcionários ocidentais, que acusam de alegadas tentativas de influenciar a opinião pública em todo o mundo.

Autoridades russas rejeitaram as alegações, sugerindo que os principais veículos de comunicação não se interessam por uma cobertura alternativa dos acontecimentos, e condenaram as acusações como ataques aos veículos de comunicação livres.

Em julho, Sputnik Letônia afirmou que a Comissão de Rádio e Televisão da Lituânia (RTCL) ordenou a proibição do acesso ao site por alegada violação de direitos autorais.

Detenção de Vyshinsky

Em 15 de maio de 2018, o jornalista russo Kirill Vyshinsky foi preso na Ucrânia. Ele foi acusado de traição e apoio às autoproclamadas repúblicas populares de Donetsk e Lugansk na região de Donbass, na Ucrânia.

A detenção de Vyshinsky provocou críticas de diferentes grupos de defesa dos direitos dos jornalistas, que afirmam que esse tipo de detenção é inaceitável em uma sociedade democrática.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала