Marinheiros do petroleiro russo detido pela Ucrânia são libertados

© Sputnik / Aleksei Malgavko / Abrir o banco de imagensIates de participantes da regata no estreito de Kerch, entre a península da Crimeia e a Rússia continental
Iates de participantes da regata no estreito de Kerch, entre a península da Crimeia e a Rússia continental - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Nesta quinta-feira (25) Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU) deteve o petroleiro russo Neyma "por bloquear navios ucranianos no estreito de Kerch", informou o serviço de imprensa do ministério.

O navio foi detido no porto ucraniano de Izmail, localizado na região de Odessa. Agentes do SBU, procuradores militares e guardas fronteiriços realizaram uma busca ao navio, sancionada por um tribunal ucraniano, e apreenderam documentos, registros de comunicações e diários de bordo.

Eles também interrogaram a tripulação. O próprio navio foi considerado como prova material e está sendo preparado o pedido para a detenção dele.

Os marinheiros russos do petroleiro detido foram libertados, como já informou a mídia ucraniana citando fontes no SBU. Foi afirmado que o navio entrou no porto com o nome de NIKA SPIRIT.

Detalhes da detenção

Os suspeitos no processo são 15 altos funcionários militares russos, incluindo um contra-almirante, dois vice-almirantes e um coronel-general.

Note-se que o navio, que alegadamente teria participado do bloqueio da passagem de navios ucranianos no estreito de Kerch, foi detectado pelos números IMO e MMSI, pois segundo a mídia os números do NEYMA e do NIKA SPIRIT são idênticos.

Segundo informou à Sputnik uma fonte no Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Moscou está informada da detenção do petroleiro e espera que as autoridades ucranianas esclareçam suas acusações concretas. Em relação a este incidente, o Parlamento russo já propôs levantar a questão da imposição de sanções contra os portos da Ucrânia.

Tensões na região do estreito de Kerch

Deve ser destacado que a região do estreito de Kerch continua sendo um local de tensões russo-ucranianas.

Em novembro passado, três navios militares ucranianos violaram a fronteira russa realizando manobras perigosas durante horas e sem responder às legítimas exigências das autoridades russas.

Os guardas de fronteira da Rússia detiveram os perpetradores. Havia 24 militares a bordo dos navios, incluindo dois oficiais do SBU. O tribunal determinou sua prisão e os acusou de terem violado a fronteira.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала