Twitter proíbe que Forças Israelenses atualizem mísseis lançados da Faixa de Gaza

© REUTERS / Mohammed SalemFoguetes são disparados de Gaza em direção a Israel, 5 de maio de 2019.
Foguetes são disparados de Gaza em direção a Israel, 5 de maio de 2019. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Centenas de mísseis foram lançados da Faixa de Gaza em território israelense desde 4 de maio, provocando uma dura resposta das FDI. Este é apenas o mais recente episódio da intesificação de tensões entre Gaza e Israel.

A conta do Twitter das Forças de Defesa de Israel (FDI) relatou ter encontrado problemas ao tentar publicar uma atualização sobre os ataques com mísseis da Faixa de Gaza. Descobriu-se que o Twitter considerava os tweets, que só diferiam em um número — a quantidade de mísseis lançados em Israel, idênticos e, portanto, não permitiam a publicação de um segundo post.

"Gostaríamos de atualizar vocês sobre os constantes disparos de mísseis em Gaza, mas o Twitter nos impede de repetir mensagens", escreveu a conta oficial na rede social.

Ainda assim, as FDI encontraram uma maneira de sair da situação para publicar os dados importantes. O último tweet não apenas indicou a quantidade de foguetes lançados, que agora somam cerca de 600 nas últimas 30 horas, mas também enfatizou que cada um deles foi uma tentativa de matar cidadãos israelenses.

Soldados das FDI na área de Hebron - Sputnik Brasil
Conta das Forças de Defesa de Israel zomba do Irã no Twitter
O ataque maciço de mísseis vindo da Faixa de Gaza começou no dia 4 de maio e o sistema de defesa Iron Dome (Domo de Ferro) havia interceptado "dezenas" de foguetes. Tel-Aviv acusa o Hamas de realizar os bombardeios e ordenou um ataque de retaliação contra suas instalações no enclave. A troca de fogo tirou a vida de civis em ambos os lados.

As tensões na fronteira entre Gaza e Israel começaram a se intensificar em março de 2018 com o início dos protestos da Grande Marcha de Retorno. Embora os organizadores afirmem que os protestos são pacíficos, a movimentação levou à morte de centenas de baixas, predominantemente entre os palestinos. As FDI afirmaram que os protestos são organizados pelo Hamas como cobertura para se infiltrar e atacar Israel.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала