Israel teria usado caças americanos F-35 no ataque a Aleppo, reporta imprensa

© AP Photo / Ariel SchalitCaça F-35 da Força Aérea israelense durante apresentação na cidade de Beersheba, Israel, 29 de dezembro de 2016
Caça F-35 da Força Aérea israelense durante apresentação na cidade de Beersheba, Israel, 29 de dezembro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Força Aérea de Israel (IAF, na sigla em inglês) pode ter usado seus avançados caças americanos F-35 no ataque aéreo à província síria de Aleppo no início desta semana, informou a mídia Al-Masdar.

A mídia, citando o site de notícias South Front, fez referência a fotos recentemente publicadas que supostamente mostram as consequências do bombardeio de Aleppo, que inclui especificamente uma imagem dos supostos destroços de uma bomba GBU-39 de pequeno diâmetro (SDB).

A bomba, que tem um alcance operacional de 110 quilômetros, foi melhorada para poder atingir alvos móveis, o que "pode ser feito por um avião que voe a alta velocidade e altitude", segundo a agência.

"Este tipo de avião será um alvo fácil para os sistemas de defesa aérea de longo alcance das Forças Armadas sírias, como os sistemas de defesa aérea S-200. Assim, a Força Aérea de Israel teria que acionar caças furtivos multifuncionais F-35 para usar as bombas GBU-39 contra alvos na Síria", para dessa forma evitar a deteção pelas defesas aéreas sírias, afirmou a mídia.

Aleppo, Síria (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Publicados FOTO e VÍDEOS de bombardeio noturno de Aleppo
A agressão aérea israelense contra a região de Sheikh Najar no nordeste de Aleppo, que ocorreu na noite de quarta-feira (27), foi informada pela agência síria de notícias SANA. A mídia afirmou que os sistemas sírios de defesa aérea repeliram o ataque, interceptando uma série de mísseis antes que atingissem o alvo.

O Exército israelense não confirmou nem desmentiu o ataque aéreo em questão, ocorrido depois de os aviões de combate israelenses terem atacado em janeiro supostos alvos iranianos na Síria, que incluíam armazéns de munições no Aeroporto Internacional de Damasco.

As autoridades israelenses têm repetidamente advertido que o Estado judeu não permitirá que o Irã consiga uma base militar na Síria. Teerã negou ter essa intenção, insistindo que só enviou conselheiros militares à Síria para ajudar Damasco a combater o terrorismo.

Em 2018, o chefe da Força Aérea de Israel, comandante Amikam Norkin, afirmou que Israel se tornou o primeiro país do mundo a realizar um ataque usando o caça furtivo F-35 fabricado nos EUA.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала