Alemanha prorroga proibição de exportação de armas para Arábia Saudita por 6 meses

© Sputnik / Stringer / Abrir o banco de imagensCasa destruída por bombardeio no Iêmen.
Casa destruída por bombardeio no Iêmen. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O governo alemão anunciou nesta quinta-feira (28) que vai estender por mais seis meses a proibição de exportar armas para a Arábia Saudita. A medida é criticada por parceiros europeus de Berlin que participam de projetos conjuntos de defesa.

A proibição, imposta após o assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, foi criticada por aliados europeus desde que colocou um ponto de interrogação sobre bilhões de euros em encomendas militares, incluindo um acordo de US$ 13,27 bilhões para a venda de 48 jatos Eurofighter Typhoon para os sauditas.

A venda seria liderada pela BAE Systems, da Grã-Bretanha.

O congelamento colocou os conservadores da chanceler Angela Merkel contra seus parceiros de coalizão sociais-democratas — que buscam atrair os eleitores críticos sobre a venda de armas e preocupados com o envolvimento saudita na guerra do Iêmen.

"A proibição será prorrogada por mais seis meses, até 30 de setembro", diz um comunicado enviado por email do porta-voz do governo, Steffen Seibert. "Durante este período, nenhum novo pedido de exportação será aprovado."

Soldados britânicos atuando na Síria - Sputnik Brasil
Agentes especiais britânicos ficam feridos em ação secreta no Iêmen
Mas em uma tentativa de atenuar as preocupações dos parceiros franceses e britânicos, o governo também concordou em estender por nove meses as licenças de exportação que já haviam sido concedidas, desde que as empresas tenham o compromisso de não entregar nenhum sistema de armas acabado até o final do ano.

Essa disposição libera as empresas da obrigação de entrar no processo oneroso e demorado de solicitar uma nova licença.

O governo também pediu à França e à Grã-Bretanha que garantam que os sistemas de armas entregues à Arábia Saudita ou aos Emirados Árabes Unidos não sejam usados no conflito do Iêmen.

O governo também disse que encontraria maneiras de ajudar o estaleiro Peene, de propriedade privada, na Alemanha, que foi impedido pela proibição de exportação de completar e entregar navios de guarda costeira que construiu para a Arábia Saudita.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала