Maduro acusa Trump de 'sequestrar' 5 bilhões de dólares destinados a medicamentos

© REUTERS / Palácio de MirafloresVenezuela's President Nicolas Maduro speaks during a meeting with businessmen in Caracas, Venezuela January 9, 2017
Venezuela's President Nicolas Maduro speaks during a meeting with businessmen in Caracas, Venezuela January 9, 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou seu homólogo norte-americano, Donald Trump, de sequestrar dinheiro venezuelano destinado à compra de medicamentos.

"O caráter criminoso das sanções do governo de Donald Trump contra a Venezuela, contra toda a Venezuela, é a perseguição que há contra os medicamentos, nos sequestrou cinco bilhões de dólares destinados à compra de medicamentos no mundo", disse o chefe de Estado a uma emissora estatal.

Durante uma visita a uma fábrica de medicamentos na cidade de Charallave, no estado de Miranda (norte do país), o presidente indicou que esse dinheiro seria destinado a importar componentes ativos para fabricar remédios na Venezuela e fornecer medicamentos para a rede de hospitais, farmácias e ambulatórios do país.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. - Sputnik Brasil
Autor de atentado com drone contra Maduro revela detalhes do ataque frustrado
O presidente acusou Trump de causar a escassez de medicamentos na Venezuela para logo dizer que enviará ajuda humanitária.

"Donald Trump, você é o responsável por uma das medidas mais criminosas contra um povo no mundo: perseguir os medicamentos para depois dizer que [os EUA] estão dispostos a enviar ajuda humanitária", acrescentou o presidente.

Além disso, Maduro sublinhou que a Venezuela tem capacidade para cobrir 70% das necessidades internas e que o restante está em negociações para sua importação com países como a Rússia, China, Índia, Irã, Turquia e Bielorrússia.

O presidente venezuelano ordenou estabelecer uma tabela de preços de produtos farmacêuticos com a indústria privada, e sublinhou que também "há que ajudá-los" com a importação de matérias-primas.

Milícia venezuelana mostra seu apoio ao presidente Maduro e sua oposição a Donald Trump - Sputnik Brasil
Embaixador russo: governo de Maduro mantém pleno controle sobre a situação no país
Em 23 de fevereiro, a oposição venezuelana tentou fazer chegar ajuda humanitária proveniente da vizinha Colômbia e do Brasil, o que resultou em confrontos com as forças de segurança, porque Maduro considera as entregas como manobra para derrubar seu governo.

A crise se agravou na Venezuela em 23 de janeiro, quando o líder da oposição Juan Guaidó se declarou presidente interino, contestando a reeleição de Maduro no ano passado. Os EUA e alguns outros países apoiaram o movimento, reconhecendo Guaidó. A Rússia, China, México e Turquia apoiam Maduro como presidente legítimo da Venezuela e pedem o diálogo para solucionar a crise.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала