- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

OTAN se recusa a comentar declarações de Trump sobre Brasil

© REUTERS / Christian HartmannA bandeira da OTAN vista através de cerca farpada em frente à nova sede da OTAN em Bruxelas, maio de 2017
A bandeira da OTAN vista através de cerca farpada em frente à nova sede da OTAN em Bruxelas, maio de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A OTAN se recusou a comentar a intenção do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de designar o Brasil como o aliado preferencial dos Estados Unidos fora da Aliança do Atlântico Norte.

Em 19 de março, o presidente norte-americano, Donald Trump, depois de se reunir em Washington com Jair Bolsonaro, se pronunciou para designar o Brasil como seu aliado preferencial fora da OTAN, ou mesmo admitir o país como membro do bloco.

"Com relação a essa questão, recomendamos que seja feita às autoridades norte-americanas", disse um funcionário da organização à Sputnik, ao comentar as declarações de Trump sobre o Brasil. 

O aliado preferencial fora da OTAN é um estatuto designado pelo governo dos EUA a um grupo de aliados com os quais Washington uma cooperação estreita na esfera militar, mas que não são membros da Aliança do Atlântico Norte.

Militares da OTAN durante manobras militares na Noruega - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Possível adesão do Brasil à OTAN: EUA estariam precisando de 'arreio' para América Latina?
No total, 17 países desfrutam dessa condição, o que proporciona benefícios econômicos adicionais, bem como relações militares com os EUA.

No momento, o único país da América Latina designado como aliado preferencial dos EUA fora da OTAN é a Argentina, que recebeu esse status em 1998 por iniciativa do então presidente dos EUA, Bill Clinton.

O presidente brasileiro realizou visita oficial de três dias aos EUA. Jair Bolsonaro já assinou alguns acordos que aprofundam a cooperação entre os dois países. Na reunião com homólogo norte-americano na terça-feira (19), foram discutidos assuntos internacionais, entre eles cooperação comercial bilateral, crise da Venezuela, e fortalecimento das relações entre Washington e Brasília.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала