Reino Unido não vai deixar a União Europeia em 29 de março, confirma premiê

© AFP 2022 / Daniel Leal-OlivasProtestos anti-Brexit em Londres
Protestos anti-Brexit em Londres - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse que seu país não deixará a União Europeia em 29 de março como planejado. Ela, porém, disse que não pretende adiar o Brexit para além de 30 de junho.

"Quase três anos se passaram desde que o público votou para deixar a União Europeia", disse May em um discurso nesta quarta-feira. "Foi o maior exercício democrático da história do nosso país. Cheguei ao poder com a promessa de cumprir esse veredito. Em março de 2017, dei início ao processo do Artigo 50 para o Reino Unido sair da UE, e o Parlamento o apoiou de forma esmagadora".

Bandeira da União Europeia - Sputnik Brasil
Comissão Europeia lamenta os resultados da votação do acordo Brexit

"Os parlamentares foram incapazes de chegar a um acordo sobre uma forma de implementar a retirada do Reino Unido. Como resultado, agora não vamos sair a tempo com um acordo em 29 de março. Esse atraso é uma questão de grande pesar pessoal para mim. E disso, tenho absoluta certeza — vocês, o público, já tiveram o suficiente", disse May.

O Reino Unido deveria deixar a UE em 29 de março de 2019, mas o repetido fracasso do governo britânico em ratificar um acordo assinado entre Londres e Bruxelas deixou o país à beira de um Brexit "sem compromisso", sem um acordo político para reger as relações diplomática ou econômica após o final do mês.

"Vocês estão cansados das lutas internas, cansados dos jogos políticos e das fileiras de procedimentos", disse May ao público. "Eu concordo. Estou do seu lado. Agora é hora dos parlamentares decidirem", disse ela, repreendendo os legisladores por não chegarem a um acordo e apenas listar "o que eles não querem".

Manifestante pró-UE protesta contra o Brexit em frente ao Parlamento em Londres (novembro de 2017) - Sputnik Brasil
França alerta que pode votar contra novo prazo para Brexit

"Os [parlamentares] querem deixar a UE com um acordo sobre o resultado do referendo, que retoma o controle do nosso dinheiro, fronteiras e leis, protegendo os empregos e a segurança nacional? Eles querem sair sem um acordo?" Ou eles não querem sair, causando danos potencialmente irreparáveis ​​à confiança do público, não apenas nesta geração de políticos, mas em todo o nosso processo democrático? Já é hora de tomarmos uma decisão".

Tanto May quanto a Câmara dos Comuns rejeitaram completamente a idéia de um Brexit "sem acordo". May disse na quarta-feira que escreveu ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, solicitando a prorrogação até 30 de junho.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала