Itália vai investigar morte de modelo que depôs contra Berlusconi em caso de pedofilia

Nos siga noTelegram
A modelo disse ao tribunal em 2012 que jovens se despiram para Berlusconi na mansão do ex-premiê perto de Milão. Ela alegou que não fazia sexo com ele, mas que aque algumas meninas recebiam quantias significativas de dinheiro.

Magistrados italianos lançaram uma investigação sobre o possível assassinato de uma dançarina que foi uma das principais testemunhas em um caso de prostituição contra o ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi.

Imane Fadil — uma modelo marroquina que alegou ter comparecido a oito das notórias festas "bunga bunga" — tinha 34 anos e morreu em um hospital de Milão em 1º de março depois de um "mês de agonia".

Silvio Berlusconi - Sputnik Brasil
Ele voltou: Berlusconi quer uma vaga no Parlamento da União Europeia em maio
Fadil foi levado ao hospital em 29 de janeiro com fortes dores de estômago que a fizeram vomitar. Ela disse a amigos e advogados que ela havia sido envenenada.

"Os médicos não identificaram com certeza nenhuma patologia que possa explicar a morte", disse à Reuters o procurador-geral de Milão, acrescentando que havia "várias anomalias" em suas amostras de sangue e registros médicos.

No entanto, de acordo com a agência de notícias italiana Ansa, testes toxicológicos revelaram que ela havia morrido de uma "mistura de substâncias radioativas".

Os investigadores dizem ter encontrado um livro que a modelo estava escrevendo sobre suas experiências.

Fadil testemunhou no julgamento de Berlusconi em 2012, quando o ex-premiê foi acusado de hospedar "festas de prostituição" em sua vila em Arcore, perto de Milão. Ela disse que as jovens vestidas de freiras haviam realizado stripteases para o político e receberiam ainda mais se concordassem em fazer sexo com o primeiro-ministro.

Silvio Berlusconi - Sputnik Brasil
Berlusconi é absolvido da acusação de prostituição de menores
Berlusconi foi acusado de fazer sexo com uma dançarina de boate menor de idade conhecida sob o nome artístico de Ruby Rubacuori. Ele também foi acusado de abusar de seu poder em uma tentativa de esconder sua conexão com Ruby. O magnata admitiu que as jovens participaram de suas festas, mas disse que promovia "concursos burlescos". Ele também insistiu que Ruby, que tinha 17 anos quando participou de suas festas, disse ter 24 anos à época.

Inicialmente, ele foi considerado culpado e sentenciado a 7 anos de prisão, mas acabou sendo inocentado de todas as acusações por um tribunal de apelação que decidiu que, mesmo após ter feito sexo com Ruby, Berlusconi desconhecia a verdadeira idade da menina.

O ex-premiê enfrentou ainda, acusações de subornar testemunhas para mentir no julgamento da prostituição com menores de idade.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала