Análise: Venezuela pode ter arma 'desconhecida' para enfrentar EUA

© AP Photo / Eraldo PeresF-16 venezuelano
F-16 venezuelano - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Venezuela ainda não retaliou por todas as ações ofensivas por parte dos EUA. Se o país caribenho escolher uma resposta, pode encontrar uma na sua Força Aérea, escreveu um analista no artigo publicado na revista Military Watch.

As Forças Armadas da Venezuela compraram aviões F-16 aos EUA em 1983. Atualmente, 17 caças monolugares e 4 caças de dois lugares estão em serviço na sua Força Aérea, recorda o periodista, que não revela sua identidade.

Segundo o autor do artigo, o valor dessas aeronaves para a Venezuela é extremamente limitado devido à escassez de peças sobressalentes por embargo de armas imposto pelos EUA. No entanto, estas aeronaves representam um ativo "muito valioso" para os aliados do país caribenho, particularmente para a Rússia.

Nicolás Maduro - Sputnik Brasil
Maduro acusa Pompeo de estar por trás do ataque que deixou a Venezuela no escuro
O analista da Military Watch recorda que, no passado, os EUA se esforçaram por adquirir aviões soviéticos e russos a ex-aliados da Rússia e antigas repúblicas soviéticas.

Em particular, Washington "obteve benefícios" comprando o MiG-21 à Indonésia e China, o MiG-23 ao Egito, o MiG-29 à Moldova e Su-27 à Bielorrússia.

"Os EUA não apenas obtiveram a possibilidade de estudar as suas tecnologias, mas também conseguiram entender como operavam estas aeronaves e quais eram as suas limitações e pontos fortes", afirmou o analista.

Ele destacou que, se a Rússia ou seus aliados adquirirem os caças norte-americanos, receberão não apenas simuladores excelentes para desempenhar o papel de inimigo convencional, mas também entenderão melhor como funcionam os aviões militares de quarta geração fabricados nos EUA.

Bandeira norte-americana sobre a Embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Venezuela - Sputnik Brasil
EUA retiram todos seus diplomatas da Venezuela após ultimato de Caracas
Ainda que as vendas de caças estadunidenses sem a autorização de Washington estejam proibidas, a Venezuela poderia ver esse cenário como "uma resposta às ações ilegais dos EUA", segundo o autor do artigo.

"A sua venda à Rússia seria vista pelos EUA como o pior desenvolvimento e representaria uma recompensa para Moscou pela perda dos seus segredos tecnológicos, quando Washington persuadiu o Egito e a Indonésia a romperem os seus contratos com Moscou e a fornecerem o MiG-23 e o MiG-21", escreveu o analista.

Este é a razão por que os F-16 permanecem uma "possibilidade interessante e um dos poucos meios de pressão" sobre os EUA que restam a Caracas, concluiu o analista.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала