Chelsea Manning é presa por se recusar a ser testemunha em caso Wikileaks

© AP Photo / Patrick SemanskyChelsea Elizabeth Manning, nascida sob o sexo masculino e de nome Bradley Edward Manning, está saíndo do tribunal militar. (foto de arquivo)
Chelsea Elizabeth Manning, nascida sob o sexo masculino e de nome Bradley Edward Manning, está saíndo do tribunal militar. (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Chelsea Manning, ex-analista de inteligência do Exército dos EUA, foi presa nesta sexta-feira (8) após a constatação de um juiz federal de que ela estava desrespeitando o tribunal ao se recusar a responder perguntas diante de um júri secreto.

O tribunal ordenou que ela fosse mantida na prisão até que o júri concluísse seu trabalho ou caso ela venha a testemunhar.

Míssil modernizado 9М729 apresentado pelo Ministério da Defesa russo no pavilhão de exibição Patriot, nos arredores de Moscou (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
OTAN diz que responderá caso Rússia posicione mísseis perto das fronteiras da aliança
Manning disse em um comunicado no início da semana que ela estava pronta para "enfrentar as consequências" que viriam por conta de sua recusa a responder às perguntas do painel.

A Procuradora Tracy McCormick disse que poderia facilmente liberar Manning do encarceramento se ela cumprisse a legislação e testemunhasse.

Em 2010, Manning foi condenada a 35 anos de prisão por vazar um arquivo de registros de inteligência militar para o site WikiLeaks.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала