Venezuela exige da Colômbia compromisso de não agressão para reabrir pontes na fronteira

© REUTERS / Edgard GarridoSituação na fronteira entre a Venezuela e a Colômbia
Situação na fronteira entre a Venezuela e a Colômbia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O ministro de Comunicação e Informação da Venezuela, Jorge Rodríguez, informou à Sputnik que embora haja uma ameaça de agressão contra a Venezuela na fronteira com a Colômbia, as três pontes que ligam esses países ao estado de Táchira permanecerão fechadas.

"Exigimos que a Colômbia respeite a fronteira […] deve haver um compromisso absoluto do governo de Iván Duque [presidente da Colômbia] de abandonar qualquer intenção agressiva contra a Venezuela, de abandonar qualquer apoio a grupos violentos ou agressivos que atualmente se encontram na fronteira", disse o ministro à Sputnik.

Partidários da oposição confrontam as forças de segurança da Venezuela na ponte Francisco de Paula Santander, na fronteira entre Colômbia e Venezuela, na Colômbia, em 23 de fevereiro de 2019 - Sputnik Brasil
Guarda Nacional da Venezuela põe fim à violência na fronteira com a Colômbia
A decisão de fechar as pontes Simón Bolívar, Francisco de Paula Santander e Unión, que ligam Táchira ao à colombiana de Norte de Santander, foi anunciada na noite de 22 de fevereiro.

Um dia depois, em 23 de fevereiro, por volta das 6h da manhã (horário da Venezuela), dois tanques da Guarda Nacional tentaram atravessar a ponte Simón Bolívar e um jornalista chileno e um membro da equipe da Polícia Nacional ficaram feridos. 

O ministro da Comunicação da Venezuela explicou que a decisão de fechar a ponte foi tomada um dia antes, porque se sabia que havia um plano para envolver as forças armadas em uma situação que causaria mortes.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала