Chrome passa a impedir anúncios invasivos para conter onda de bloqueadores de publicidade

© REUTERS / Mike BlakeO logotipo do Google retratado no topo de um prédio de escritórios em Irvine, Califórnia, EUA (imagem de arquivo)
O logotipo do Google retratado no topo de um prédio de escritórios em Irvine, Califórnia, EUA (imagem de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Sabe quando você tenta usar um site e ele tem tanta publicidade que você mal consegue ler o texto? A partir desta quinta-feira, o navegador Google Chrome começará a bloquear os anúncios considerados invasivos.

A medida foi anunciada pela empresa em julho do ano passado e tem como objetivo tornar a publicidade online mais agradável para os usuários.

O sistema, no entanto, não vai bloquear todos os anúncios. Ele focará apenas em propagandas que contrariem as políticas estabelecidas pela Coalizão por Melhores Anúncios, grupo formado por empresas de publicidade e pelo Google.

WhatsApp - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Combater 'Fake news' no Brasil com legislação não resolve problema, alerta especialista

Anúncios em pop-up, que possuem vídeos com autoplay e som e que cobrem a largura inteira da tela são um dos exemplos dos que serão bloqueados pelo navegador.

Quando um site exibir anúncios invasivos, o desenvolvedor será notificado e terá 30 dias para tirá-los do ar. Caso isso não seja cumprido, todos os anúncios daquele site serão bloqueados pelo Google.

Segundo o publicitário Daniel Salvador, gerente de Marketing responsável pela comunicação da Infobase, holding que atua nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação Digital, essa nova ferramenta do Chrome foi pensada para que os usuários não instalem mais bloqueadores de anúncios independentes.

"Esses anúncios que serão bloqueados são os que mais incomodam os usuários, a ideia é justamente diminuir a invasividade e a necessidade dos usuários do Chrome instalarem bloqueadores de anúncios, que por sua vez bloqueia os anúncios do Google, principal receita da empresa", disse Daniel Salvador, em entrevista à Sputnik Brasil.

Logo do Facebook nos ecrãs do telemóvel e computador - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Eleições 2018: nova lei pode beneficiar diretamente Google e Facebook na campanha

O publicitário disse que o mercado agora precisará se adaptar a esse tipo de mudança.

"Na verdade a internet, conforme for crescendo, vai fazer que os anunciantes criem diferenciações entre si. Façam propagandas mais criativas e brinquem com os recursos disponíveis", completou.

O navegador vai exibir uma mensagem aos usuários na parte inferior da tela avisando que aquela página "tende a mostrar anúncios intrusivos". Quem estiver navegando pode mesmo assim pedir para que o Chrome exiba os banners bloqueados.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала