Premiê: França enfrenta onda de antissemitismo violento

© AFP 2022 / STRINGERÉdouard Philippe, primeiro-ministro da França
Édouard Philippe, primeiro-ministro da França - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A França está enfrentando "uma nova forma de antissemitismo", marcada pela violência, segundo afirmou nesta quarta-feira o primeiro-ministro do país, Édouard Philippe, lamentando o espancamento de um menino judeu nos subúrbios de Paris nesta semana.

Na noite da última segunda-feira, uma criança de apenas oito anos foi agredida por dois adolescentes em Sarcelles, no departamento de Val-d'Oise, apenas porque portava um quipá (espécie de chapéu utilizado por judeus), de acordo com a mídia local. O caso comoveu a sociedade francesa, levando o presidente francês, Emmanuel Macron, a denunciar publicamente a ação. 

"Um menino de oito anos foi agredido hoje em Sarcelles. Porque portava um quipá. Cada vez que um cidadão é agredido por conta de sua idade, aparência ou confissão, toda a República é agredida", disse ele. 

De acordo com o premiê Édouard Philippe, a França, que possui a maior população judaica da Europa Ocidental, está tendo que lidar com a emergência de um novo tipo de antissemitismo atualmente. Para ele, a melhor forma de combater essa violência, em primeiro lugar, é tendo coragem de dar nome a essa prática.

"Sarcelles: nós não podemos aceitar que uma criança de oito anos seja agredida porque usava um símbolo religioso. Essa é uma agressão antissemita. A justiça deve agir com severidade."

Segundo um relatório divulgado pelo Ministério do Interior nesta quarta-feira, o número de atos racistas sofreu uma queda geral na França no último ano, mas as ações violentas contra muçulmanos e, principalmente, judeus, no entanto, tiveram uma alta considerável. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала