'Quem fala o que quer...': Americana é detida após chamar policial alemão de 'nazista'

© Foto / PixabayHandcuffed
Handcuffed - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A professora americana de 49 anos, C. Christine Fair foi multada e detida depois de chamar oficiais "bastardos fod**os" e "alemães nazista" quando um oficial do aeroporto de Frankfurt pediu que ela que jogasse fora um vidro de desodorante por motivos de segurança.

O incidente começou quando o sistema de segurança do aeroporto identificou que a mala de Fair poderia conter explosivos. Embora a checagem tenha mostrado tratar-se de um alarme falso, os policiais argumentaram que a mulher trazia na bolsa um desodorante e pediram que ela ou transferisse o material para a bagagem despachada ou o jogasse fora.

Metralhador Pchelnetsov ataca o inimigo na região de Stalingrado (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Há 75 anos, começou batalha histórica que predestinou derrota da Alemanha nazista
Com raiva, Fair alegou que o desodorante era sólido. Autoridades aeroportuárias indicaram que a partir deste momento, a professora se tornou "cada vez menos cooperativa" até mencionar os insultos que motivou sua detenção e multa. Acusar uma pessoa de ser nazista na Alemanha é considerado tabu, embora não haja lei tornando ilegal o uso de xingamento.

De acordo com o comunicado de imprensa do departamento de polícia, a professora, que trabalha na prestigiada Universidade de Georgetown, vai enfrentar um processo criminal por difamação. Ela também teve de pagar o equivalente a US$ 260 em multa. Fair, por sua vez, escreveu em um blog do portal Huffington Post que considerava cobrança "um roubo em que os perpetradores tiveram a cortesia de deixar recibo".

Tayyip Erdogan e Angela Merkel - Sputnik Brasil
Alemanha chama de 'inaceitável', comparação de presidente turco entre Merkel e o nazismo
A alegação deixou a polícia alemã ainda mais enfurecida. Monitorando tweets da professora, o departamento afirmou ao Kansas City Star que a americana continua insultando oficiais da Polícia Federal e da equipe de segurança, referindo-se a eles como "bandidos de uniforme".

"Se eu fosse um homem, não acho que eles me ameaçariam com prisão", afirmou Fair. Ao USA Today, a mulher disse que entrou em contato com autoridades do Departamento de Estado dos EUA na Alemanha e se reunirá com funcionários da embaixada do país.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала