Nuvens de guerra nuclear estão sobre a Península da Coreia, diz jornal norte-coreano

© AP Photo / Wong Maye-EMísseis no desfile militar dedicado ao aniversário de Kim Il sung em Pyongyang, 15 de abril de 2017
Mísseis no desfile militar dedicado ao aniversário de Kim Il sung em Pyongyang, 15 de abril de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Um jornal da Coreia do Norte publicou nesta sexta-feira que um "redemoinho sombrio de uma guerra nuclear" está à espreita sob a Península da Coreia, mencionando que a ameaça envolve a agressiva política dos Estados Unidos contra Pyongyang.

"O que [os EUA] deseja o tempo todo não é a paz e a estabilidade da península, mas a instabilidade da situação e o agravamento das tensões militares", publicou o Rodong Sinmun, o jornal do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte.

A passagem foi atribuída a Choe Song-ho, pesquisador de política internacional no Instituto Norte-Coreano de Ciência Social.

Para sustentar o seu ponto de vista, Choe mencionou uma recente reunião de chanceleres de vários países em Vancouver (Canadá), na qual os EUA enfatizaram a urgência de implementar ainda mais sanções internacionais contra a Coreia do Norte – o encontro foi condenado por China e Rússia.

Kremlin, Moscou - Sputnik Brasil
Rússia diz que não precisa respeitar as sanções dos EUA contra Coreia do Norte

De acordo com o pesquisador, tudo não passou de uma estratégia dos EUA para fortalecer os seus ativos na região da Ásia e do Pacífico.

"A situação na península ainda é aguda, mesmo que as correntes do diálogo e da paz fluam ostensivamente. Um redemoinho escuro da guerra nuclear está a espreita como uma bomba de tempo abaixo deles", ponderou Choe.

O analista considerou um "jogo terrível" o que Washington está fazendo, destacando que tudo não passaria ainda de uma medida desesperada para obstruir a reconciliação entre Pyongyang e Seul, que se aproximaram e realizaram neste mês os primeiros encontros de altos oficiais em mais de dois anos.

Neste início de 2018, a Coreia do Norte vem reforçando o discurso de conciliação com a Coreia do Sul, enfatizando ainda que cabe às duas Coreias resolverem os seus assuntos, sem a interferência de outras nações – um claro recado aos EUA.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала