EUA estariam preparando bombardeiros em Guam para atacar Pyongyang (FOTOS)

© flickr.com / AereiMilitari.orgAvião militar norte-americano B-2 Spirit
Avião militar norte-americano B-2 Spirit - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Embora as tensões entre os EUA e a Coreia do Norte tenham recentemente diminuído, o país norte-americano estaria acumulando poderes de fogo na região do Pacífico e alegadamente está se preparando para realizar um ataque nuclear tático.

Sistema de defesa antimíssil Aegis Ashore - Sputnik Brasil
Sistema de defesa antimíssil dos EUA não repelirá ataque nuclear de adversários
Recentemente, os EUA enviaram bombardeiros furtivos B-2 para Guam, onde já se encontram vários bombardeiros B-1 e B-52 da frota norte-americana, conhecidos como o braço aéreo da tríade nuclear estadunidense.

De acordo com o jornal Business Insider, embora esses bombardeiros sejam conhecidos por sua capacidade de transportar mísseis nucleares, uma arma menor poderia ser utilizada em um possível ataque à Coreia do Norte: uma versão modernizada da bomba nuclear B61. O B61 é uma arma nuclear tática que foi modificada nos últimos anos para ter maior precisão e capacidade para alcançar alvos subterrâneos.

"A nova modificação do B61 não somente torna essa arma ideal para destruir bunkers subterrâneos, igual ao que o líder norte-coreano Kim Jong-un poderia esconder durante um conflito, mas possui características nucleares ajustáveis que poderiam limitar a radioatividade prejudicial após um ataque nuclear", afirma o artigo.

Camiões levando lançadores de mísseis dos EUA e outro equipamento para instalar o sistema de defesa antimíssil THAAD na base aérea de Pyeongtaek, Coreia do Sul - Sputnik Brasil
'Reforço militar dos EUA na península coreana vai além da dissuasão de Pyongyang'
De acordo com um recente estudo, as últimas modernizações dos sistemas de orientação e das próprias armas nucleares poderiam permitir aos EUA de destruir toda infraestrutura nuclear da Coreia do Norte causando apenas cerca de 100 mortes.

Por sua vez, Melissa Hanham, especialista do Centro James Martin para Estudos de Não Proliferação, afirmou que a suposição da pesquisa de que apenas cinco locais constituiriam a maior parte ou a totalidade da infraestrutura nuclear da Coreia do Norte, é errônea.

"A Coreia do Norte fez o possível para impedir ataques nucleares ou convencionais por difundir sua infraestrutura nuclear por todo o país. Os locais estão ocultos e a inteligência dos EUA, apesar de aplicar os melhores esforços, se enganou", afirmou a ex-funcionária do Departamento de Estado à Business Insider.

Apesar das evidências de que as armas nucleares táticas dificilmente resolverão a situação com a Coreia do Norte, a Administração de Trump tem encarado favoravelmente a utilização de armas nucleares menores, já que seu tamanho facilitaria o uso durante um conflito.

​De acordo com a mídia, os recentes relatórios sugeriram que Trump estaria considerando um ataque limitado contra a Coreia do Norte. Contudo, especialistas e políticos caracterizaram a ideia de um ataque nuclear como desestabilizadora, uma vez que Pyongyang poderia responder de forma assimétrica.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала