Erdogan: Turquia lutará até não restar nenhum terrorista na fronteira com Iraque

© AP Photo / Lefteris PitarakisSoldados do exército turco preparando seus tanques na fronteira com a Síria
Soldados do exército turco preparando seus tanques na fronteira com a Síria - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, declarou que Ancara vai continuar lutando até não restar nenhum terrorista na fronteira com o Iraque.

Soldados dos EUA usando símbolos bordados das Unidades de Proteção Popular (YPG) curdas no norte da Síria - Sputnik Brasil
EUA: não fornecemos armas nem treinamento aos curdos em Afrin
De acordo com o presidente, a Turquia vai libertar a cidade síria de Manbij dos terroristas depois de Afrin e ninguém deve se preocupar com isso.

Erdogan declarou anteriormente que Ancara vai "impedir o jogo de diferentes Estados que procuram executar planos na região" e "limpar completamente a região dos terroristas, começando em Manbij e ao longo de toda a fronteira [com a Síria]".

A sexta-feira (26) marca o sétimo dia da terceira operação militar turca na Síria chamada de Ramo de Oliveira. De acordo com militares turcos, já foram neutralizados "343 terroristas" no decorrer da operação.

No sábado (20), as Forças Militares da Turquia iniciaram operação Ramo de Oliveira em Afrin – área controlada pelas Unidades de Proteção Popular (YPG), que recebem apoio dos EUA e são consideradas por Ancara como uma filiação do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), considerado organização terrorista pela Turquia e alguns outros países.

Tanques turcos perto da fronteira com a Síria, Turquia (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Funcionário sírio: operação em Afrin lança nova fase da guerra
Ancara sublinhou que sua operação não é contra o governo sírio, dizendo que a preservação da integridade territorial da Síria é objetivo conjunto da Turquia e Síria. Segundo o ministro das Relações Exteriores turco, "Damasco sabe que as milícias de YPS querem dividir a Síria".

A Turquia vinha preparando operação militar desde que os EUA anunciaram planos de treinar forças fronteiriças de 30.000 pessoas no norte da Síria que, em sua maioria, são combatentes de YPG. A medida de Washington foi duramente criticada pela Turquia, com o presidente Erdogan ameaçando "asfixiar" o "exército terrorista" cuja formação está em curso.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала