Abandonados por todos: por que Ucrânia desistiu de seus navios na Crimeia?

© Sputnik / Aleksei Malgavko / Abrir o banco de imagensВоенные корабли, принадлежащие Украине, в Крыму
Военные корабли, принадлежащие Украине, в Крыму - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Recentemente, Moscou se mostrou pronta para devolver a Kiev os navios da Marinha ucraniana que ficaram na Crimeia. O premiê ucraniano Vladimir Groisman, por sua vez, declarou que junto com o equipamento militar a Rússia deve devolver toda a península, recusando assim a proposta.

Navios ucranianos em Sevastopol, Crimeia, Rússia - Sputnik Brasil
General ucraniano receia receber navios da Crimeia
Hoje em dia, na península permanecem nove navios que estavam no serviço da Marinha da Ucrânia antes dos acontecimentos de 2014.

Por mais estranho que pareça, a maioria deles naquele momento estava em bom estado técnico, capazes de sair ao mar. A Sputnik comenta o que está se passando com os navios no momento e por que a Ucrânia decidiu desistir deles.

Corvetas

Até 2014, os navios ucranianos em melhor estado operacional eram as corvetas. Das quatro corvetas que restam na Crimeia, ao menos três eram capazes de sair ao mar até final de 2013.

A mais nova delas é a corveta Ternopol que entrou no serviço em 2006, sendo considerado um dos navios com maior capacidade de combate. No fim de 2013, Ternopol participou de manobras da OTAN no mar Mediterrâneo.

O porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth em Portsmouth, Reino Unido - Sputnik Brasil
Novos e dispendiosos navios da OTAN não estão prontos para combater
A segunda corveta, Lutsk, serviu ativamente até 2008, tendo participado em mais de 20 exercícios internacionais. Segundo a Marinha ucraniana, quando ficou sob controle da Rússia o navio estava em reparação e sua prontidão técnica era de 80%.

A corveta mais velha da lista é Khmelnitsky, que entrou no serviço em 1985 e quase não saiu ao mar, permanecendo na reserva. Mas em 2012 e 2013 o navio foi significativamente modernizado e até participou dos exercícios russo-ucranianos de 2013 no mar Negro.

À modernização foi também submetida a corveta de mísseis Pridneprovie, cuja tripulação realizou exercícios em 2013.

Navios de guerra de minas e submarino

Além das corvetas, a Marinha ucraniana está representada na Crimeia pelos navios de guerra de minas Chernigov e Cherkassy, de produção soviética. Até a reunificação da Crimeia com a Rússia, os dois navios saíam regularmente ao mar, participando de vários exercícios navais.

© Sputnik / A. Shadrin / Abrir o banco de imagensNavio de comando Slavutich
Navio de comando Slavutich - Sputnik Brasil
Navio de comando Slavutich

O maior navio ucraniano que se encontra na Crimeia é Slavutich, um navio de comando com deslocamento de 5.010 toneladas que também não pode ser chamado de sucata. Lançado ao mar em 1990, o navio participou regularmente de manobras internacionais. Em 2000, Slavutich até realizou uma passagem transatlântica aos Estados Unidos.

Um pouco mais pequeno é o navio de desembarque de doca Konstantin Olshansky, que era utilizado regularmente até 2014. Em 2016, na mídia houve informações que a Marinha russa planejava usar o navio para transportar cargas militares para a Síria. Porém, o comando russo negou completamente esses dados.

Apesar de se ter tornado uma espécie de "meme" simbolizando a degradação da frota ucraniana, o submarino Zaporozhie tinha todas as chances de "ressuscitar". Entre 2010 e 2013, o submarino foi reparado por especialistas do Ministério da Defesa russo. A tripulação do navio até realizou imersões de teste.

© Sputnik / Vasily Batanov / Abrir o banco de imagensSubmarino Zaporozhie estacionado na Crimeia
Submarino Zaporozhie estacionado na Crimeia - Sputnik Brasil
Submarino Zaporozhie estacionado na Crimeia

Abandonados por todos

Como se vê, a Ucrânia deixou na Crimeia uma herança naval bastante "viva". Dos nove navios apenas dois não funcionavam — a corveta Lutsk e o navio de guerra de minas Konstantin Olshansky. As capacidades do submarino Zaporozhie também não eram ótimas.

Então por que é que Kiev abandonou esta riqueza? Segundo especialistas, as razões são sobretudo econômicas e não políticas. É que no momento a economia ucraniana é pouco capaz de manter mesmo esta frota bastante pequena. Além disso, durante os quatro anos que permaneceram na Crimeia já russa, estando parados, o estado dos navios não melhorou.

Navio varredor Chernigov ucraniano no porto de Sevastopol (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Navios ucranianos que permanecem na Crimeia aparentam estar em estado lamentável (VÍDEO)
No total, de acordo com a mídia ucraniana, na Crimeia há 38 navios e embarcações auxiliares que antes faziam parte das Forças Armadas da Ucrânia. Uma parte deles foi desativada até 2014, esperando seu destino de serem transformados em sucata.

É pouco provável também que os navios possam ser integrados na Frota do Mar Negro russa — a Marinha tem seus próprios navios modernos.

Agora, o equipamento naval envelhecido da Marinha ucraniana apenas dá trabalho aos marinheiros russos, obrigados a vigiar para que nas embarcações não haja nenhum acidente.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала