Coreia do Norte: Washington obstaculiza normalização das nossas relações com Seul

© Sputnik / Ilia Pitalev / Abrir o banco de imagensEsta foto mostra militares durante o desfile militar comemorando os 105 anos de nascimento de Kim Il-sung
Esta foto mostra militares durante o desfile militar comemorando os 105 anos de nascimento de Kim Il-sung - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Pyongyang criticou Washington por obstaculizar a normalização das relações entre as Coreias ao pressionar governo norte-coreano.

"Os Estados Unidos reiteraram a sua promessa de não atenuar as sanções e a máxima pressão até que o Norte não abandone seus programas de armas nucleares e de mísseis balísticos. Estão enchendo uma jarra de água fria sobre um ambiente de reconciliação", assinala um comentário publicado no principal jornal da Coreia do Norte, Rodong Sinmun.

Homem vê a notícia mostrando imagens de arquivo do lançamento de mísseis da Coreia do Norte em uma estação ferroviária em Seul, em 12 de fevereiro de 2017. Nesse dia, a Coreia do Norte disparou um míssil balístico, em aparente provocação para testar a resposta do novo presidente Donald Trump, disse o Ministério da Defesa sul-coreano - Sputnik Brasil
Grã-Bretanha pede união de todos os países contra o programa nuclear da Coreia do Norte
O artigo adverte que a Coreia do Norte tem várias opções para fazer frente a um possível ataque preventivo de Washington.

Há pouco, militares americanos anunciaram estar planejando posicionar o porta-aviões Stennis na zona ocidental do oceano Pacífico. Ao mesmo tempo, Estados Unidos reforçaram várias tropas de suas bases aéreas na Coreia do Sul e no Japão.

Estas medidas norte-americanas, reitera o artigo, são uma provocação militar para esfriar atmosfera nas relações intercoreanas, que melhoraram graças aos esforços da Coreia do Norte.

Em 9 de janeiro, delegações de ambas as Coreias se reuniram pela primeira vez em dois anos na povoado de Panmunjom, na zona desmilitarizada entre os dois países.

Bandeira da Coreia do Norte - Sputnik Brasil
Manobra contra EUA: como Coreia do Norte superou pressão de Washington
Depois da reunião, soube-se que Seul propôs reabertura de negociações entre os dois países para prevenir acidentes militares e para atingir paz na região, incluindo desnuclearização, organização de um encontro em fevereiro entre as famílias que foram separadas na guerra entre 1950 e 1953 e reintrodução de reuniões entre os comitês nacionais da Cruz Vermelha.

Por sua vez, Coreia do Norte se mostrou interessada em enviar uma delegação de alto escalão do Comitê Olímpico Internacional, atletas, jornalistas e observadores, bem como a equipe de tae-kwon-do aos Jogos Olímpicos de Inverno que serão realizados em fevereiro em Pyeongchang.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала