Exército do Iraque combate Daesh no centro de Ramadi

© AP PhotoIraqi security forces cross a bridge built by corps of Engineers over the Euphrates River as Islamic State destroyed all the bridges leading to central Ramadi to block Iraqi security forces from moving forward in Ramadi, 70 miles (115 kilometers) west of Baghdad, Iraq, Tuesday, Dec. 22, 2015
Iraqi security forces cross a bridge built by corps of Engineers over the Euphrates River as Islamic State destroyed all the bridges leading to central Ramadi to block Iraqi security forces from moving forward in Ramadi, 70 miles (115 kilometers) west of Baghdad, Iraq, Tuesday, Dec. 22, 2015 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
As tropas e as milícias iraquianas tomaram controle da ponte estratégica al-Khor perto do centro da cidade de Ramadi, antes controlada por terroristas do grupo terrorista Daesh (também conhecido como “Estado Islâmico”) e continuam o seu avanço para o centro da cidade, informa a agência iraniana FARS.

A national flag waves on an Iraqi Army Abrams tank as Iraqi forces supported by U.S.-led coalition airstrikes advance their position during clashes with Islamic State group in the western suburbs of Ramadi, the capital of Iraq's Anbar province, 70 miles (115 kilometers) west of Baghdad, Iraq, Saturday, Nov. 21, 2015 - Sputnik Brasil
Batalha por Ramadi: militantes do Daesh estão ‘em estado de confusão e caos’
“As forças iraquianas alcançou a área de al-Khor e estão se preparando para atravessar esta ponte e o rio Tigre”, disse à FARS Raed Raisan, comandante da unidade voluntária Hashd al-Shaabi, que participa da operação.

Depois de tomar controle da ponte, as forças governamentais trabalham para neutralizar as minas deixadas lá pelo Daesh. Depois de acabar o processo, o exército continuará a avançar.

“60 por cento de Ramadi agora fica sob controle das forças iraquianas e foi limpa de terroristas takfiristas [apelido ofensivo de sunitas radicais usado por xiitas no Iraque e na Sìria]”, disse à FARS Raje Baraka, membro do comitê de segurança do governador de Anbar. 

“O exército iraquiano assaltou as primeiras linhas defensivas de terroristas do Daesh no centro da cidade e agora está engajado em combates pesados de rua com os terroristas takfiristas”, informaram as fontes militares acrescentando que as forças governamentais tomaram controle de vários distritos no sul de Ramadi e uma via-chave no norte do país.

F-15E Strike Eagle da Força Aérea americana - Sputnik Brasil
Iraque confirma que 10 soldados morreram em ataques aéreos dos EUA
Além disso, os militares informaram que tinham limitado o uso de artilharia contra posições do Daesh para evitar perdas entre civis.

“Cerca de 250-300 militantes do Daesh são prendidos no centro da cidade sem meio de escapar e as forças pro-governamentais estão decididos em usar esta chance de caçá-los um por um”, acrescentou a fonte militar.

As autoridades militares do Iraque veem com optimismo o curso da operação.

“Nos próximos dias serão anunciadas boas notícias sobre a retomada completa de Ramadi”, disse nesta quarta-feira (23) o chefe do Estado-Maior, general-tenente Othman al-Ghanemi, citado pelo canal Iraqia TV.

A cidade de Ramadi fica a cerca de 100 quilômetros ao oeste de Bagdá e é a capital da província de Anbar, a maior província do país situada na parte ocidental.

Combatentes do grupo terrorista Estado Islâmico no Iraque, cidade de Mosul. 25 de junho de 2014 - Sputnik Brasil
Washington e seus aliados ‘não fazem ideia’ de como destruir o Daesh
Em setembro e outubro de 2014 os terroristas do Daesh lançaram uma grande ofensiva contra a cidade e após meses de combates os militantes capturaram a maior parte da cidade em maio de 2015, inclusive edifícios estatais.

A organização terrorista Daesh (proibida na Rússia e reconhecida como terrorista pelo Brasil) autoproclamou-se "califado mundial" em 29 de junho de 2014, tornando-se imediatamente uma ameaça explícita à comunidade internacional e sendo reconhecida como ameaça principal por vários países e organismos internacionais. Porém, o grupo terrorista tem suas origens ainda em 1999, quando o jihadista da tendência salafita jordaniano Abu Musab al-Zarqawi fundou o grupo Jamaat al-Tawhid wal-Jihad. Depois da invasão norte-americana no Iraque em 2003, esta organização começou a fortalecer-se, até transformar-se, em 2006, no Estado Islâmico do Iraque. A ameaça representada por esta entidade foi reconhecida pelos serviços secretos dos EUA ainda naquela altura, mas reconhecida secretamente, e nada foi feito para contê-la. Como resultado, surgiu em 2013 o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, que agora abrange territórios no Iraque e na Síria, mantendo a instabilidade e fomentando conflitos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала