Alerta químico: Ucrânia pede análise da OSCE sobre níveis de radiação em Donetsk

© AFP 2022 / ALEKSEY FILIPPOV Membro da missão da OSCE e jornalistas examinam cratera em Telmanove, ao sul de Donetsk, após bombardeios das tropas ucranianas
Membro da missão da OSCE e jornalistas examinam cratera em Telmanove, ao sul de Donetsk, após bombardeios das tropas ucranianas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Após a explosão em uma fábrica de produtos químicos em Donetsk no último dia 16 de junho, o governo ucraniano pede agora à Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) que monitore os níveis de radiação sobre a região no leste do país.

A fábrica em questão gere a atualização, o reparo e a eliminação de munições, além de produzir explosivos industriais.

"Por um longo tempo agora a concentração de munições e explosivos nas áreas da fábrica havia alcançado um nível quase crítico. Por mais de um ano, a fábrica tem sido uma ameaça para toda a região", declararam as autoridades militares de Kiev em mensagem postada no Facebook.

Fábrica química em Donetsk - Sputnik Brasil
RPD: bombardeamento de empresa química em Donetsk provoca feridos
Teme-se que a explosão na fábrica possa ter causado danos no local de armazenamento de resíduos radioativos, uma vez que o incidente desencadeou a detonação de depósitos de munições subterrâneos. 

A chamada “operação especial antiterrorista” de Kiev na região, que desde abril do ano passado tenta sufocar os movimentos locais de resistência armada ao golpe de Estado ocorrido em fevereiro, afirma que os possíveis efeitos da explosão devem vir à luz o mais rápido possível, com a ajuda da OSCE, para que a população local possa saber como reagir da melhor maneira.

Combatente da República Popular de Donetsk em um mercado destruído no leste ucraniano - Sputnik Brasil
RPD: Kiev se prepara para usar armas químicas em Donbass com ajuda norte-americana
"Esta situação está causando grande preocupação do lado ucraniano, porque há uma possibilidade de vazamento de elementos radioativos que são muito perigosos para a saúde e a vida de um grande número de civis na região", escreveu o major general ucraniano Andriy Taran, citado em um comunicado postado no Facebook pela sede da operação militar especial de Kiev no sudeste da Ucrânia.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала