Tsipras confirma a suspensão do funcionamento dos bancos gregos

Nos siga noTelegram
O primeiro ministro da Grécia, Alexis Tsipras, confirmou hoje que o Banco Central do país havia recomendado suspender o funcionamento dos bancos e introduzir limitações para a retirada de fundos.

As decisões do Eurogrupo levaram a que o Banco Central Europeu hoje não aumente a liquidez dos bancos gregos e fez o Banco da Grécia introduzir medidas destinadas a suspender o funcionamento de bancos e limitar as transações", disse.

Funcionária arruma bandeiras da Grécia e da UE antes de encontro que aconteceu em Bruxelas entre o premiê grego Alexis Tsipras e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, em 3 de junho de 2015 - Sputnik Brasil
Propostas dos credores da Grécia são insustentáveis
Essas decisões, disse ele, têm como objetivo chantagear o povo grego a fim de perturbar o referendo previsto para 05 de julho.

"O que precisamos nos próximos dias é calma e paciência, os depósitos dos cidadãos nos bancos gregos estão garantidos, assim como os salários e pensões", disse Tsipras.

O fechamento dos bancos pode durar até 6 de julho, um dia após o referendo, informou a radio Skai citando especialistas, ao indicar que esta medida pode ter como objetivo evitar retiradas maciças que poderiam minar o sistema bancário.

A decisão, não tendo sido tomada oficialmente, está sendo analisada e debatida pelo conselho de ministros na residência do primeiro ministro.

Anteriormente, os ministros das Finanças da zona euro, reunidos em Bruxelas, rejeitaram o alargamento do resgate da Grécia, que expira neste dia 30 de Junho, terça.

Bandeira da Grécia ao lado da deusa Atena - Sputnik Brasil
Grécia anuncia referendo sobre termos do programa de resgate financeiro para 5 de julho
No sábado (27) o primeiro-ministro grego Alexis Tsipras anunciou um referendo sobre se aceita ou não as propostas de credores e que será realizado em 5 de julho.

A Grécia está atualmente negociando com seus credores para reestruturar uma dívida de mais de 240 bilhões de euros, montante que o país necessitou para evitar o calote técnico em 2010 e 2012.

Se antes de 30 de Junho, as partes não conseguirem conciliar suas posições e chegar a um acordo, a Grécia poderia suspender os pagamentos por não poder fazer frente a um desembolso de 1 bilhão e 600 milhões de euros para o FMI.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала