Líder supremo do Irã: EUA querem destruir completamente indústria nuclear do país

© AP Photo / Office of the Iranian Supreme LeaderAiatolá Ali Khamenei
Aiatolá Ali Khamenei - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O líder supremo do Irã, Ali Khamenei, disse que os EUA querem destruir a indústria nuclear do país, ressaltando que as inspeções internacionais das instalações militares iranianas estão fora de questão.

"A América persegue o objetivo de destruir nossa indústria nuclear por completo <…> O objetivo dos nossos negociadores é salvaguardar a integridade do Irã… e nossas conquistas nucleares durante as negociações ", disse Khamenei na terça-feira durante seu discurso na TV estatal.

O especialista em questões nucleares Hassan Beheshtipur comentou que os EUA há vários anos que têm tentado pressionar o Irã a nível internacional:

“Tenho que apontar que mesmo o presidente Barack Obama disse na reunião com os parlamentares que os EUA planejam, primeiro, enfraquecer e, em seguida, destruir completamente a indústria nuclear do Irã. Mas eles não conseguiram porque o Irã, apesar de todas as sanções, tem desenvolvido desde 2003 a sua indústria nuclear. Por isso os EUA decidiram negociar abertamente e fazer pressão ou, como eles dizem, “fazer-nos mudar de ideias” para que nós enfraquecessemos “voluntariamente” o ritmo de crescimento da nossa indústria”.

Ali Khamenei também lembrou no seu discurso que o Irã espera a retirada imediata das sanções, se o país chegar a um acordo com o grupo P5+1 sobre a questão nuclear.

“Todas as sanções que afetam a economia, os setores financeiro e bancário, introduzidas pelo Conselho da Segurança da ONU, o Congresso dos EUA e o governo dos Estados Unidos, devem ser canceladas no dia da assinatura do acordo”, escreveu o aiatolá na sua conta em Twitter.

“As outras sanções podem ser canceladas por etapas de acordo com um calendário razoável”, acrescentou ele.

Além disso, Khamenei reiterou que Teerã não concordará em realizar inspeções nas instalações militares iranianas, relacionadas com o programa nuclear.

Ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Javad Zarif, e o Chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, entre outros membros de sua delegação em Lausanne, 27 de março de 2015 - Sputnik Brasil
Sexteto fez concessões ao Irã sobre programa nuclear
Na segunda-feira o ministro do Exterior francês, Laurent Fabius, se reuniu em Luxemburgo com seu colega iraniano, Mohammad Javad Zarif, para discutir o programa nuclear iraniano. O acordo final deve ser assinado dentro de uma semana, mas tudo indica que a data escolhida será adiada. Há duas questões principais: as atividades nucleares anteriores do Irão e o acesso dos inspetores da AIEA às instalações militares.

Em 2003 o aiatolá Khamenei declarou que a produção, o armazenamento e a utilização de armas de destruição em massa são conformes com as disposições do Islã. A publicação de informações sobre os aspectos militares do programa é contrária à sua fatwa, e ameaça minar sua reputação.

Em 2 de abril de 2015, na Suíça, o Irã e o P5+1 – grupo composto por EUA, França, Rússia, China e Reino Unido, além da Alemanha – chegaram a um acordo sobre os moldes iniciais de um pacto sobre o programa nuclear iraniano. A data-limite para que se chegue a um texto final é 30 de junho.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала