Rússia e Grécia assinam memorando sobre Corrente Turca

© AP Photo / Marko DrobnjakovicConstrução de gasoduto
Construção de gasoduto - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os ministros da energia russo e grego, Aleksandr Novak e Panagiotis Lafazanis, respectivamente, assinaram o memorando para construir o gasoduto Corrente Turca (Turkish Stream), soube a Sputnik nesta sexta-feira, 19 de maio.

O ministro da energia da Grécia declarou:

“A nossa reunião de hoje é histórica… O memorando manifesta a disponibilidade de ambas as partes para construir o gasoduto em direção ao sul”.

Segundo Lafazanis, o projeto vai unir todos os países da Europa que participarão no projeto Corrente Turca:

“O gasoduto não só ligará a Rússia com a Grécia, mas também vai unir os europeus. Opinamos que este é o nosso aviso de estabilidade e amizade… O gasoduto que nós introduzimos hoje não é dirigido contra alguém na Europa ou em geral, este é o gasoduto de paz, estabilidade de toda a região”.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, conversa com o presidente russo Vladimir Putin durante cerimônia no Kremlin - Sputnik Brasil
Gasoduto Corrente Turca: Grécia e Rússia planejam acordo de 5 bilhões de euros
Ele disse que Moscou e Atenas abrem um novo caminho para a Europa e expressou a esperança de que o projeto seja realizado. Referindo-se ao processo de celebração do acordo de gasoduto como a primeira batalha vencida, Lafazanis disse:

“Vamos para outro passo – o segundo passo. Esperamos que ganhem a segunda batalha, como já ganhamos a primeira”.

O gasoduto Corrente Turca terá uma capacidade de 63 bilhões de metros cúbicos de gás e será construído no fundo do mar Negro até a fronteira com a Grécia.

“A rota depois disso ainda não foi definida, pois isso depende das propostas dos países, em cujo território passará o gasoduto e onde deverá ser montada a infraestrutura correspondente”, informou o ministro da energia russo Aleksandr Novak.

Gazprom - Sputnik Brasil
Gazprom explica por que acusações antitruste da UE são infundadas
Em 1 de dezembro do ano passado o presidente russo, Vladimir Putin, anunciou que o projeto para a construção do gasoduto Corrente do Sul (South Stream) estava sendo cancelado devido à abordagem não construtiva da União Europeia para a cooperação nesta esfera, e particularmente à decisão da Bulgária de suspender a construção de um trecho do gasoduto em seu território. Depois da declaração, a empresa estatal gasífera russa Gazprom anunciou planos para a construção de um novo gasoduto para fornecer gás russo para a Turquia e os clientes no Sul da Europa por meio de um hub de trânsito na fronteira turco-grega.

Atualmente, até 40% do gás russo é entregue para a Europa através do território ucraniano, que passa por tempos difíceis na economia e política. A Rússia tem repetidamente manifestado preocupação com a falta de confiabilidade da Ucrânia como país de trânsito.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала