Relatório de ONG critica as práticas de asilo dos EUA para a América Central

© flickr.com / Neerav BhattBrasão dos serviços de embaixada norte americanos
Brasão dos serviços de embaixada norte americanos - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
As práticas dos EUA, no que diz respeito aos requerentes de asilo provenientes da América Central, violam as obrigações do país perante as convenção para a proteção dos direitos humanos e refugiados, disse o relatório da Human Rights First publicada segunda-feira (15), poucos dias antes do Dia Mundial dos Refugiados.

"O envio das famílias requerentes de asilo para os centros de detenção para imigrantes prejudica crianças, desperdiça recursos do governo e está fora de sintonia com os ideais americanos e os compromissos dos direitos humanos", disse a autora do relatório, Eleanor Hacer no site oficial da organização.

O relatório publicado um ano após a administração Obama começar a deter milhares de mães e crianças centro-americanos que procuram proteção nos EUA analisa as consequências da detenção das famílias, bem como propõe ao Governo recomendações a respeito.

Imigrante desembarca no porto de Pozzallo, Itália, em 20 de abril de 2015 - Sputnik Brasil
ONU está insatisfeita com medidas de combate à imigração ilegal
Os investigadores e advogados da organização visitaram vários centros de detenção nos estados do Novo México e Texas e se reuniram com dezenas de mulheres detidas nesses locais.

Em muitos casos, as mães estavam desesperadamente preocupadas com o impacto da detenção sobre a saúde física e mental de seus filhos.

O relatório observa que, apesar do anúncio do Serviço de Imigração e Controle Alfandegário de que iria tomar medidas para melhorar a supervisão das famílias detidas, a Human Rights First descobriu que muitas mães e crianças ainda são enviados a centros para imigrantes, enfrentando flagrante falta de acolhimento, assim como continuam trancados nas instalações por não poderem pagar os custos demasiadamente altos com burocracia para que possam sair.

A Human Rights First exige que o governo acabe com a prolongada detenção de imigrantes e uso de obrigações proibidas, assim como custosas.

Militantes do Estado Islâmico (EI) - Sputnik Brasil
Organização conservadora dos EUA alerta para atividades do EI na fronteira com o México
Além deste custo humano, a detenção de imigrantes é algo extremamente caro. O relatório indica que o governo dos EUA gasta 1.029 dólares por dia para uma família de três pessoas.

O monitoramento baseado na comunidade ou outras alternativas à detenção custam muito menos, a partir de 17 centavos indo até 17 dólares por dia em alguns casos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала