Pentágono pretende instalar bases militares no Iraque

© AP Photo / Karim KadimIraqi security forces participate in a drill as U.S. forces help train them in Taji, north of Baghdad, Iraq.
Iraqi security forces participate in a drill as U.S. forces help train them in Taji, north of Baghdad, Iraq. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Pentágono admitiu nesta quinta-feira que não descarta instalar novas bases militares no Iraque para combater o grupo extremista autodenominado Estado Islâmico (EI).

Militares americanos em missão na cidade de Ramadi em outubro de 2004, um ano e sete meses após a invasão do Iraque pelos EUA - Sputnik Brasil
Obama aprova envio de mais 450 militares americanos para o Iraque
O porta-voz do Pentágono, coronel Steve Warren, disse que a nova base em Al-Taqadoum, na província iraquiana de Al-Anbar, anunciada na terça-feira (9), pode ser a primeira de outras bases norte-americanas no Iraque.

“O que estamos fazendo em Al-Takadoum pode ser feito em outros locais também”, declarou ele, referindo-se à abertura da base, que vai receber 450 militares dos Estados Unidos. O anúncio sobre o envio de mais militares dos Estados Unidos foi feito pelo próprio presidente Barack Obama, três semanas depois da queda de Ramadi, cidade controlada pelos jihadistas do EI.

O governo norte-americano informou que somados os 450 novos soldados enviados, os Estados Unidos terão 3,1 mil soldados no Iraque para dar suporte e treinamento às linhas de combate iraquianas. Eles não fazem parte das tropas terrestres que lutam em combates.

O envio de mais tropas ao Oriente Médio divide a opinião pública norte-americana. Os mais conservadores, especialmente os republicanos, são favoráveis à medida, e consideram equivocada a política que Obama tem tentado implantar nos últimos anos – de dar mais força à negociação diplomática que à militar. Além disso, existe pressão para que os Estados Unidos atuem mais diretamente contra o EI.

Soldados paramilitares xiitas do Iraque - Sputnik Brasil
Iraque busca ajuda de Rússia e China em vez dos EUA
Por outro lado, os liberais – em especial os democratas – apoiam uma política menos militarizada, baseados em argumentos de que a ação militar norte-americana nem sempre trouxe bons resultados, como por exemplo, a Guerra do Vietña, considerada por parte da população como “fracasso” militar para os Estados Unidos, informou Agência Brasil.


Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала