- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Seminário no Rio: desafios e oportunidades dos BRICS

© Foto / Bandeiras do BRICSBandeiras dos BRICS
Bandeiras dos BRICS - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Apesar da interação diplomática, os países do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) ainda precisam avançar nos acordos econômicos. A questão é tema do Seminário Internacional BRICS - Desafios e Oportunidades, iniciado nesta terça-feira, 9 de junho, na Fundação Getulio Vargas (FGV).

Bandeiras nacionais dos países membros do BRICS - Sputnik Brasil
OCDE prevê crescimento de 3,6% do BRICS em 2015
A sigla BRICS começou a ser usada em 2001, numa referência ao Brasil, à Rússia, Índia e China, países chamados de economias emergentes. Em 2006 a cooperação política foi oficializada na Assembleia Geral das Nações Unidas e em 2011 a África do Sul foi incorporada às discussões do grupo, e a sigla passou a ser BRICS.

Para o diretor executivo da FGV/Crescimento & Desenvolvimento, Pedro Cavalcanti Ferreira, que mediou as apresentações nesta terça-feira, os BRICS são muito estudados do ponto de vista diplomático e das ciências políticas, mas ainda faltam análises econômicas sobre o grupo, muito importantes diante do crescimento da China e dos laços econômicos com os outros países.

"[BRICS] é um tema muito quente entre os cientistas políticos e diplomatas, pessoas interessadas em relações internacionais, mas os economistas não deram muita atenção. Quando a gente começou a pensar no tema [do seminário], achamos que valia a pena chamar a atenção do ponto de vista dos economistas e trazer para a discussão os cientistas políticos também, porque as relações não só diplomáticas e políticas entre esses países vão ficar cada vez mais importantes, mas as relações econômica também", ressaltou.

Também diretor da FGV/Crescimento & Desenvolvimento, Roberto Castello Branco apresentou as diferenças e semelhanças entre as economias dos BRICS. Segundo ele, a parte econométrica da pesquisa ainda está em desenvolvimento, mas a análise dos fatos mostra que, apesar de ter o crescimento fortemente desacelerado desde 2011, os BRICS são economias importantes, que representam 29% do PIB global, e têm grande potencial de crescimento, com destaque para a China.

Os exercícios sino-russos Cooperação Naval 2015 em Novorossiysk, Rússia - Sputnik Brasil
BRICS planejam reforçar cooperação econômica e na área da segurança
"A China está desenvolvendo ativamente iniciativas para ganhar poder global, tanto no mundo das finanças quanto politicamente, e desafiar a liderança dos Estados Unidos. Esses países se organizaram num grupo formal. O resultado disso ainda não sabemos, se [o grupo] é apenas uma peça do tabuleiro de xadrez ou se é realmente um mecanismo que vai estimular maior integração econômica entre esses países e ganhos reais", salientou.

Nesta terça-feira também foram apresentados aspectos sobre a nova posição da China no cenário geopolítico global, a convergência dos BRICS nas votações das Nações Unidas e a posição do grupo na ordem mundial. Na quarta-feira, 10 de junho, serão tratados temas como as relações econômicas entre China e América Latina e os desafios para o crescimento dos países que compõem o BRICS, informou Agência Brasil.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала